30 de novembro de 2013

"GRUPO DE CHORO PALÁCIO DAS ARTES" EM DUAS APRESENTAÇÕES.

Na semana que se inicia, o Grupo de Choro Palácio das Artes sobe ao palco brindando o público com duas apresentações. Neste domingo, 01 de dezembro, a cidade de Betim o recebe no Clube do Trabalhador Francisco Netto Motta. O show acontece às 13h e tem entrada franca.
Já em Belo Horizonte, na quarta, 04 de dezembro, o Grupo convida o Ballet Jovem Palácio das Artes para uma grande apresentação. O já tradicional encontro no Grande Teatro que marca o encerramento da temporada 2013, conta com uma homenagem ao músico, compositor e arranjador Waldir Silva, “Rei do Cavaquinho”. No ano passado, Waldir Silva subiu ao palco com o Grupo de Choro e, agora, um vídeo com momentos do homenageado será exibido durante a execução da música “Naquela Mesa”, de Sérgio Bittencourt (filho de Jacob do Bandolim). Com coordenação musical de Marilene Trotta, o show conta também com a presença do cavaquinista Zé Carlos, figura marcante do Choro belo-horizontino.
Com uma proposta de renovação, o Grupo de Choro apresenta pela primeira vez canções autorais no Grande Teatro Palácio das Artes. Ao todo, nove músicas do repertório são inéditas. Além disso, a música “Cinco Gerações”, de Osmar Furtado, pai do saxonista Osmar Júnior, referencia a história da família de músicos. A atual formação do Grupo de Choro conta com cinco novos integrantes.
As novidades tornam a apresentação de dezembro uma das mais desafiadoras e esperadas dos últimos anos. Os ingressos já estão à venda.

SERVIÇO:
Grupo de Choro Palácio das Artes em Betim
Data: 01 de dezembro, domingo
Horário: 13h00
Local: Clube do Trabalhador Francisco Netto Motta
Entrada: Gratuita
Informações:(31) 3236-7400

Grupo de Choro Palácio das Artes com a participação do Ballet Jovem Palácio das Artes - Belo Horizonte
Data: 04 de dezembro, quarta
Horário: 20h30
Local: Grande Teatro do Palácio das Artes
Entrada: R$10,00 (inteira) e R$5,00 (meia)
Informações: (31) 3236-7400


DOMINGO COM FEIJOADA E CHORO NOSSO.


O Projeto "Choro na Feijoaria" promove uma nova atração a cada primeiro domingo do mês e apresenta neste domingo, 1 de dezembro, show com o grupo "Choro Nosso". O grupo formado por Renato Muringa (bandolim e cavaquinho), Marcela Nunes (flauta), Agostinho Paolucci (violão sete cordas) e Daniel Guedes (pandeiro) desenvolve pesquisa, valorização e divulgação do Choro produzido em Minas Gerais, apresentando uma mostra da singularidade, beleza e diversidade do choro mineiro. E é esse o resultado que será levado ao palco, incluindo obras de integrantes do grupo. O repertório conta com polcas, maxixes e valsas, além do próprio Choro. Então, neste domingo, tem repertório com o melhor do Choro e no cardápio, uma deliciosa feijoada.

SERVIÇO:
Projeto "Choro na Feijoaria" apresenta: Grupo "Choro Nosso".
Data: 01 de Dezembro 2013
Feijoada: a partir das 12h00. Show: 14h00 .
Valor: R$55,00
(O ingresso dá direito ao Show, buffet de feijoada e sobremesa. Bebidas são cobradas à parte).novembro
Local: Feijoaria - Rua Desembargador Fernando Bhering, 244 - Dona Clara - BH.
Informações e reservas: (31) 2526-5253.

25 de novembro de 2013

Arthur Moreira Lima é a próxima atração que celebra os 150 anos de Ernesto Nazareth, no CCBB.

Ernesto Nazareth era grande admirador de Frédéric Chopin e recebe homenagem do pianista Arthur Moreira Lima, na quarta e quinta-feira (27 e 28 de novembro), dentro da programação musical que celebra os 150 anos de Nazareth, no CCBB - Centro Cultural Banco do Brasil. 
Moreira Lima faz um paralelo entre os pianistas brasileiro e polonês em concerto que ocorre nos dias 27 e 28 de novembro, às 20 horas.


SERVIÇO
CCBB BH – "Ernesto Nazareth: 150 anos depois"
Local: Centro Cultural Banco do Brasil (Praça da Liberdade, 450 – Funcionários)
30 de outubro a 28 de novembro
Quartas e quintas  – 20 Horas
Ingresos: R$ 10 e R$ 5 (meia-entrada) – na bilheteria do CCBB BH
Informações: (31) 3431-9400

OAP- Organização dos aposentados e pensionistas da UFMG apresenta: "História do Choro ilustrada pelo Clube do Choro de BH".


"História do Choro ilustrada pelo Clube de Choro de Belo Horizonte"  é a atração do Concerto de Primavera promovido pela OAP - Organização dos aposentados e pensionistas da UFMG, na próxima sexta-feira. O Show acontece  às 19h30, no auditório do Conservatório UFMG, com entrada franca.
Com idealização e roteiro de Carlos Walter (violão) e direção musical de Marcela Nunes (flauta) , o concerto contará também com a presença no palco de outros associados do Clube do Choro de BH como Hélio Pereira (bandolim), Ivan Melo (percussão e voz), Lucas Telles (violão 7 cordas), Luiz Guilherme Barbosa (cavaquinho), Luiz Otávio Savassi (pandeiro) e Oszenclever Camargo (percussão).
O público será brindado com um roteiro que trará um repertório de clássicos do gênero, incluindo composições de Ernesto Nazareth, Chiquinha Gonzaga, Pixinguinha, Garoto, Waldir Azevedo, Paulo César Pinheiro entre outros compositores.

OAP
A OAP foi criada em 23 de agosto de 1996, para unir a classe de aposentados e pensionistas da UFMG. Os principais objetivos, que se mantêm até hoje, são a defesa jurídica dos direitos adquiridos de seus associados além de promover ações socioculturais e educativas para os mesmos e seus familiares. Hoje em dia, são mais de 2.300 sócios, que podem participar gratuitamente de eventos culturais, como concertos, saraus, oficinas, cursos, concursos e festas. A Organização oferece, pelo menos, três eventos todos os meses, com entrada franca para associados e familiares. 

SERVIÇO:
Concerto de Primavera 2013 OAP/UFMG: "História Ilustrada do Choro pelo Clube do Choro de Belo Horizonte".
Coordenação: Professora Marilene Gangana 
Data: 29 de novembro de 2013
Horário: 19h30
Local: Conservatório UFMG – Av. Afonso Pena, 1534 – Centro BH/MG
Entrada: A entrada é gratuita e aberta ao público em geral, mas é preciso reservar o lugar pelo telefone 3409-4505.

20 de novembro de 2013

150 ANOS DE ERNESTO NAZARETH CONTINUAM SENDO COMEMORADOS EM ALTO ESTILO.


O CCBB, inaugurando sua programação musical em Belo Horizonte, dá continuidade à programação que faz tributo a um dos maiores artistas brasileiros: Ernesto Nazareth. 
De 30 de outubro a 28 de novembro, os 150 anos de nascimento do compositor estão sendo celebrados com uma programação que passeia por dois universos fundamentais na obra do pianista carioca: a erudição dos salões e o ritmado das ruas. A reverência às faces clássica e popular do artista está presente na escolha dos músicos que conduzem os espetáculos. 
Na programação de hoje e manhã, o pianista Antonio Adolfo improvisa jazzisticamente em cima de seus temas. Imperdível.

SERVIÇO
CCBB BH – ERNESTO NAZARETH: 150 ANOS DEPOIS
Local: Centro Cultural Banco do Brasil (Praça da Liberdade, 450 – Funcionários)
30 DE OUTUBRO A 28 DE NOVEMBRO
QUARTAS E QUINTAS – 20 HORAS
INGRESSOS: R$ 10 e R$ 5 (meia-entrada) – na bilheteria do CCBB BH
Informações: 31 3431 9400

13 de novembro de 2013

"Pelos tangos de Nazareth - Da rítmica africana à syncope brasileira": Tânia Cançado faz concerto e lança livro no Conservatório UFMG.

Tânia Cançado - Foto: Teresa Vilela

Na próxima segunda-feira, 18 de novembro às 20hs, o Conservatório UFMG traz ao público, dentro do Projeto Pizindin Choro no Palco, o  concerto de lançamento do livro de Tânia Cançado  “Pelos Tangos de Nazareth – Da rítmica africana à syncope brasileira”.  
O  livro é uma síntese da tese de Doutorado de Tânia Cançado, defendida na Universidade de Shenandoah (EUA) e na qual ela analisa como a música africana influenciou, de forma diversa, a música popular nas Américas do Sul, do Norte e Central, dando origem a ritmos diferentes, mas com uma base comum. A obra mostra também a importância  do compositor Ernesto Nazareth na sistematização desses ritmos, em especial a síncope afro-americana, que caracterizam hoje os padrões rítmicos da Música Popular Brasileira.
O livro será vendido acompanhado do CD “Tributo a Nazareth”, gravado por Tânia Cançado em 1984 como resultante de uma série de concertos realizados com o mesmo nome. O CD indicado em 1985 ao prêmio SHARP Brasil foi reeditado pelo selo Karmim. 

TÂNIA MARA LOPES CANÇADO

Pianista e concertista,  a belorizontina Tânia Cançado diplomou-se em 1972 pela Escola de Música da UFMG - EMUFMG. Foi premiada em vários concursos nacionais de piano, e obteve 1º lugar no concurso para professor da Escola de MÙsica da Universidade Federal de Minas Gerais, onde exerceu atividade docente de 1978 a 2004. Foi também diretora da mesma instituição e responsável ali, entre outras iniciativas, pela criação do pioneiro Centro de Musicalização Infantil (CMI). 
A partir de 1995, Tânia Cançado concentrou suas atividades como pianista e pesquisadora da música das Américas, de origem africana. 
Em 1995, obteve seu grau de mestre pela Universidade de Shenandoah, na Virgínia. Em 1997, participou como Professora convidada do Centro Latino Americano da Universidade Católica de Washington,  onde desenvolveu uma série de concertos didáticos sobre a música popular brasileira, cubana e norte- americana, por várias cidades dos Estados Unidos e do Caribe. Essa nova experiência resultou na gravação de seu 2.º CD, intitulado "Conexão", cujo repertório descreve a evolução da música popular de influência negra, no Brasil, em Cuba e nos Estados Unidos.  Em 1999 obteve seu grau de Doutora em educação musical pela Universidade de SHENANDOAH, defendendo a tese sobre a influência da música africana no desenvolvimento dos ritmos populares da música brasileira, cubana e norte- americana, o que lhe proporcionou vivências para a implantação do Projeto Sociocultural Cariúnas e para a criação da Sociedade Artística Mirim de BH que o abriga. Após sua aposentadoria na Universidade, passou a dedicar-se integralmente ao projeto  que presta assistência a mais de 200 crianças e adolescentes carentes da região norte de Belo Horizonte, tendo como foco a educação artística. 
Em sua discografia, a pianista inclui também o Cd “Especial Tânia Cançado” , lançado em 2003 com obras de Villa-Lobos, Ernesto Nazareth, Claude Bolling e Gottschalk. 

Os espetáculos do Projeto Pizindin - Choro no Palco se realizam às segundas-feiras, sempre às 20hs, com exceção da última segunda-feira de cada mês. 

SERVIÇO:
Projeto Pizindin - Choro no Palco - Tânia Cançado - Concerto e lançamento de livro: "Pelos tangos de Nazareth - da rítmica africana à syncope brasileira"
Data: 18 de novembro de 2013 – Segunda-feira
Horário: 20h
Local: Conservatório UFMG – Av. Afonso Pena, 1534 – Centro BH/MG
Entrada: R$15,00 (inteira) e R$7,00 (meia-entrada)
Ingressos vendidos no dia do show a partir das 19hs.
Info: 3409-8300   

8 de novembro de 2013

ITABIRA RECEBE O GRUPO DE CHORO PALÁCIO DAS ARTES.



O Grupo de Choro Palácio das Artes, formado em 2007 como projeto do Curso de Música do Centro de Formação Artística da Fundação Clóvis Salgado (Cefarse) se apresenta contemplando a execução de obras de nível técnico avançado, que valoriza esse gênero marcante da música brasileira. E neste sábado leva todo o seu talento,  habilidade e técnica apurada na execução do Choro, à cidade de Itabira - MG, se apresentando dentro do Projeto "Centenário Cultural da Unifei".
A professora do Cefar Marilene Trotta é a coordenadora musical do grupo e estará à frente desta apresentação com entrada franca, que ocorre às 20hs, no Teatro da Fundação Carlos Drummond de Andrade.

HOJE TEM SANFONA NO CHORO, NA PRAÇA FLORIANO PEIXOTO.


O projeto “BH Instrumental”, realizado pela Veredas Produções, em parceria com o Instituto UNIMED BH, convida o acordeonista Marcelo Caldi, acompanhado por Fábio Luna (percussão, bateria e flauta) e Rogério Caetano (violão sete cordas), para show que promove o encontro da sanfona nordestina com o choro, gênero tipicamente carioca. “Tem Sanfona no Choro” será apresentado, pela primeira vez em Belo Horizonte, nesta sexta, 08 de novembro, às 20 horas, na Praça Floriano Peixoto. O acesso é gratuito.

Marcelo Caldi, pesquisador e idealizador do projeto, se dedica há 17 anos a pesquisa e experimentação das zonas limiares dos diversos estilos e tendências. A sua trajetória artística é marcada pela versatilidade, devido ao diálogo inovador com os precursores do “choro nordestino”, sem dispensar as pitadas contemporâneas de jazz e improviso.

A apresentação desta noite é resultado do projeto de Marcelo Caldi, “Tem Sanfona no Choro”, registro histórico, em livro e CD, de um artista singular na música brasileira, Luiz Gonzaga. No disco, valsas, mazurcas, polcas, quadrilhas e os “chamegos”, estilo instrumental que Gonzagão tentou emplacar antes do baião, dentro da linguagem do choro carioca. Na publicação, partituras cifradas dos choros deste ícone da música popular brasileira e transcritas pelo acordeonista. 
Neste trabalho, o compositor Marcelo Caldi realça os inusitados caminhos do instrumento de fole no Brasil. O músico também mostra o lado genial de grandes instrumentistas, como Luiz Gonzaga, Sivuca e Dominguinhos. No repertório, “Cabaceira mon amour” e “Cada um torce como pode”, de Sivuca; e “Princesinha no Choro” e “Nilopolitano”, de Dominguinhos.

O show “Tem Sanfona no Choro” já passou por diversas formações. Em 2011, homenageou Sivuca, com um quarteto de cordas, na mostra “Sanfoneando”, no Centro Cultural Banco do Brasil do Rio de Janeiro (CCBB – RJ). Logo em seguida, reuniu Bebê Kramer, Fábio Luna e Nando Duarte em show que fez referência a Dominguinhos, no Festival Vale do Café, em Vassouras, no Rio. Durante o ano do centenário de nascimento de Luiz Gonzaga, Marcelo Caldi compôs arranjos sinfônicos, executados pela Orquestra Sinfônica de Barra Mansa, Orquestra Petrobras e Orquestra Sinfônica do Recife, com participação da cantora Elba Ramalho.

7 de novembro de 2013

110 ANOS E UM CHORO DO ARY.


Hoje, o compositor Ary Barroso estaria completando 110 anos. 
Mineiro de Ubá, nasceu em 7 de novembro de 1903 e parece, predestinado a compor uma das canções brasileiras mais conhecidas no mundo em todos os tempos: Aquarela do Brasil (1939) um típico samba exaltação considerado uma espécie de hino nacional não oficial. 
Ele que foi um dos mais férteis criadores da música popular de seu tempo, continua vivo e ocupando o devido lugar que a grandiosidade de sua obra lhe confere. Influenciando profundamente tanto seus contemporâneos quanto as gerações futuras, Ary Evangelista Barroso é ícone da história da música brasileira. 
Ary Barroso foi múltiplo. Atuou como compositor, instrumentista, promotor público, deputado estadual, apresentador de programas de auditório , locutor esportivo e torcedor confesso do Flamengo. Iniciou na arte de compor numa época em que a música popular começava a ser moldada, no final da década de 20. Sua primeira música gravada foi "Vou à Penha", em 1929, por seu colega de faculdade de Direito, Mário Reis. Na voz do mesmo cantor conheceu seu primeiro sucesso, "Vamos deixar de intimidades". Suas composições foram também gravadas por outras vozes notáveis de seu tempo, como Carmem Miranda e Sílvio Caldas. 
Além do samba, ele incursionou por outros ritmos como as marchinhas, xotes, foxtrotes e também o Choro. Sua vasta obra inclui também uma trilha sonora composta especialmente para o desenho animado "Você já foi à Bahia?", de Walt Disney. Por tal feito recebeu o diploma da Academia de Ciências e Arte Cinematográfica de Hollywood. 
Em 1961, Ary adoeceu seriamente de cirrose hepática, e nos deixou em 9 de fevereiro de 1964, um domingo de Carnaval, dia este que, por ironia do destino, a Império Serrano desfilava na avenida apresentando o enredo Aquarela do Brasil.

Ao todo são reconhecidas cerca de 264 composições de Ary Barroso. Entre elas, uma que o Blog do Clube do Choro traz hoje em destaque:

"CHORANDO" (Choro-1951)


"Projeto Saravá interpreta Ary Barroso": um show em homenagem aos 110 anos do compositor.

Projeto Saravá - Foto: Divulgação

Na segunda-feira, 11 de novembro de 2013, às 20hs, o destaque do " Projeto Pizindin Choro no Palco" fica por conta do show  “Projeto Saravá interpreta Ary Barroso”.
O grupo retorna ao palco do projeto interpretando obras do grande compositor Ary Barroso que completaria em 2013, 110 anos de seu nascimento. Mineiro de Ubá, o autor de sucessos como Camisa Amarela e Na baixa do sapateiro, também compôs choros como Sambando na Gafieira e Chorando. Toda a multiplicidade criativa de Ary Barroso inspirou e motivou o grupo na construção do show, onde serão apresentados arranjos instrumentais e vocais de algumas das mais importantes obras da música brasileira. 

Projeto Saravá
O Projeto Saravá se destaca por um versátil repertório marcado pela apropriação de diversas vertentes da música brasileira, tais como o samba, choro, frevo e baião, que são os fundamentos inspiradores para suas composições autorais. Formado em 2008 por jovens músicos da capital e do interior mineiro, o grupo foi o vencedor do Festival Rosas de Abril (2012) e classificou a faixa título Geraizêro do Arraiá de seu EP na semifinal no FENAC 2013 (Festival Nacional da Canção). Em 2012, o Saravá homenageou o Rei do Baião "Luiz Gonzaga" também no Projeto Pizindin - Choro no Palco.
O grupo é composto por Leo Assunção (violão 7 cordas), Luana Aires (voz e efeitos), Renato Muringa (cavaco e bandolim), PG Rocha (percussão), Henrique Edwin (percussão).

SERVIÇO:
Projeto Pizindin - Choro no Palco - “Projeto Saravá interpreta Ary Barroso”
Data: 11 de novembro de 2013
Horário: 20hs 
Entrada: R$15,00 (inteira) R$7,00 (meia-entrada)
Ingressos vendidos no dia do show a partir das 19hs
Local: Conservatório UFMG – Av. Afonso Pena, 1534 – Centro BH/MG
Info: 3409-8300 

6 de novembro de 2013

Minas ao Luar "Especial Waldir Silva". Sexta, em Santa Tereza.



Um dos mais ilustres músicos que ajudaram a construir a história do projeto Minas ao Luar, Waldir Silva, que faleceu em setembro deste ano, será homenageado em uma edição especial. O show que vai rememorar a trajetória do músico será no dia 8 de novembro, na Praça Duque de Caxias, no bairro Santa Tereza, região Leste da capital, a partir das 20h.
A principal atração da noite será Mauro Silva e Banda que vai apresentar um repertório recheado de sucessos que marcaram a trajetória do Minas ao Luar. O show será permeado por vídeos com depoimentos sobre a vida, trajetória e momentos marcantes da vida do rei do cavaquinho.

MINAS AO LUAR
O Minas ao Luar faz parte dos projetos itinerantes do Sesc que levam música de qualidade a todas as regiões do estado, gratuitamente e em espaços públicos. O objetivo principal é o resgate e a valorização da música popular de raiz através de seus compositores e cantores.

MAURO SILVA E CONJUNTO MUSICAL
Mauro Silva participou da idealização do Projeto Minas ao Luar desde o começo. Ao lado de seu irmão Waldir Silva, Mauro e seu conjunto musical participaram de aproximadamente 250 apresentações nos projetos Minas ao Luar, Minas em Serenata e Seresta ao Pé da Serra. O cantor e compositor marcou presença na produção do CD Minas ao Luar Canções Dois, além de cantar uma das músicas. Participou também, de duas músicas do CD Minas ao Luar Canções Um.

SERVIÇO
Evento: Minas ao Luar
Data: 8 de novembro
Local: Praça Duque de Caxias, no bairro Santa Tereza, em Belo Horizonte
Horário: 20h
Entrada gratuita