SEJA VOCÊ TAMBÉM UM ASSOCIADO DO CLUBE DO CHORO DE BH. MAIORES INFORMAÇÕES LIGUE (31)3422-4433.

29 de março de 2020

"Violão na Madrugada": o violonista e associado Carlos Walter nos apresenta seus ensaios abertos.

Violão na Madrugada é o nome desta série que acaba de ser lançada, marcando o ponto de partida das lives que serão promovidas pelo violonista Carlos Walter. Como nos informa, "esta é uma série sem regularidade de breves ensaios abertos, violonísticos e temáticos em plena madrugada, entre o sono e a vigília, travestida de ode aos notívagos e aos que cedo madrugam!" 

Neste primeiro vídeo Carlos Walter nos apresenta uma variação do arranjo de Paulinho Nogueira tocada num Violão Requinto para a cintilante e fugaz VALSA DE EURÍDICE, inteiramente composta por Vinícius de Moraes. Um excerto da trilha sonora de Orfeu da Conceição, versão teatral à brasileira do mito grego de Orfeu e Eurídice, protagonizada por afrodescendentes e assinada por Tom Jobim e Vinícius de Moraes, que em 1956 escreveu: “Esta peça é uma homenagem ao negro brasileiro, a quem, de resto, a devo; e não apenas pela sua contribuição tão orgânica à cultura deste país, melhor, pelo seu apaixonante estilo de viver que me permitiu, sem esforço, num simples relampejar do pensamento, sentir no divino músico da Trácia a natureza de um dos divinos músicos do morro carioca."


Agradecemos ao associado Carlos Walter por gentilmente autorizar esta publicação, nos proporcionando mais um dos seus excelentes conteúdos, gerados pelo seu grande talento. Já aguardamos as próximas edições do "Violão na Madrugada". Até lá. 

28 de março de 2020

Retratos do Choro - parte 3: mais momentos felizes das celebrações de uma década do Clube.


Em 2016, ano em que o Clube do Choro de BH completou uma década de fundação, aconteceram diversos shows, rodas de Choro, lançamento bibliográfico, homenagens, entre outras comemorações. 
Durante este momento em que passamos pela suspensão temporária dos eventos culturais, devido ao isolamento social adotado para o enfrentamento da pandemia do Coronavirus, trazemos a  série "Retratos do Choro" para você relembrar em casa deste momentos felizes. 
Aprecie e salve suas fotos favoritas.











#ficaemcasarevendonossasfotos e acompanhe a série Retratos do Choro que trará, novos posts com mais momentos como estes.

27 de março de 2020

Festival "Te Aquieta em Casa" permanece com inscrições abertas. Corre que ainda dá tempo!


Com as medidas restritivas adotadas para a prevenção do novo coronavírus, causador da Covid-19, diversas manifestações culturais, como shows, espetáculos teatrais, visitas, entre outras expressões artísticas tiveram que ser suspensas. Para continuar fomentando a cultura nesse período, o Governo do Pará, por meio da Secretaria de Estado de Cultura (Secult), publicou o credenciamento para o ‘Festival Te Aquieta em Casa’, que vai selecionar 120 conteúdos digitais das mais variadas linguagens artísticas.

O objetivo é gerar renda para os artistas e ainda incentivar que as pessoas permaneçam em suas casas consumindo conteúdos culturais por meio das redes sociais. Fazedores e fazedoras de cultura envolvidos com teatro, dança, música, contação de histórias, artes visuais, artesanato e expressões culturais populares, afro brasileiras, indígenas e oriundas de comunidades tradicionais podem se credenciar.

As instruções estão disponíveis no site da Secult (www.secult.pa.gov.br) e o credenciamento deverá ser feito pelo e-mail artedigitalsecultpa@gmail.com, de 20 a 30 de março de 2020. No corpo do e-mail, o participante deverá preencher a ficha de inscrição, anexar os documentos mencionados no item 3.3.1 do edital e informar o link do conteúdo, que já deverá ter sido publicado na página do artista, juntamente com a #FestivalTeAquietaEmCasa.

As análises dos documentos e dos conteúdos serão feitas por uma equipe de técnicos da Secult. Os artistas contemplados serão premiados com um valor de R$ 1.500,00 e terão suas páginas na internet - onde estará disponível o trabalho selecionado - divulgadas nas redes da Secult (Facebook e Instagram).


26 de março de 2020

Retratos do Choro - parte 2: relembrando as celebrações dos 10 anos do Clube do Choro de BH


Neste momento em que os eventos como rodas de choro e shows estão suspensos, em conformidade com as determinações legais e atendimento às recomendações das autoridade de saúde, estamos publicando a série Retratos do Choro, que traz vários álbuns de fotos que registram encontros, rodas de Choro, shows e outros eventos que marcaram os últimos 5 anos da história do Clube do Choro de BH. Desta forma, mantemos viva a nossa pauta, com momentos de muita alegria.

No Retratos do Choro - parte 2 que publicamos hoje, trazemos fotos de eventos realizados em 2016. Aproveite para rever e reviver, alguns dos eventos que fizeram parte das celebrações dos 10 anos do Clube do Choro de BH.










#ficaemcasarevendonossasfotos e acompanhe a série Retratos do Choro que trará, novos posts com mais momentos como estes.

25 de março de 2020

Retratos do Choro - parte 1 ou #ficaemcasarevendonossasfotos


Estamos vivendo um momento em que o isolamento social se tornou uma ação de profilaxia necessária para o enfrentamento da Pandemia do Covid-19. Portanto, sigamos em casa, aguardando o tempo em que poderemos nos abraçar novamente e voltarmos às nossas confraternizações e rodas de Choro. Até lá, a partir de hoje, disponibilizaremos aqui alguns álbuns com centenas de fotos de encontros e shows promovidas pelo Clube do Choro de BH.
Aproveite para rever os amigos, salvar suas fotos favoritas e amenizar a saudade...

Começamos hoje com o ano de 2015, quando festejamos o dia da Mulher e nos reunimos em rodas de Choro e vários almoços. Confiram e acompanhem as futuras publicações.









23 de março de 2020

Edital Aceleração Musical Labsonica oferece oportunidades para artistas e bandas independentes.

Estão abertas as inscrições para o Edital Aceleração Musical Labsonica, promovido pela Oi Futuro. O edital escolherá seis artistas e bandas independentes, sendo quatro do Rio de Janeiro e dois de outros estados brasileiros, para uma aceleração de carreira com uma residência artística para a produção de EPs e workshops orientados por especialistas da indústria da música. 

Além do diagnóstico e da estratégia de aceleração de carreira, cada selecionado terá três músicas lançadas pelo Selo Toca Discos em todas as plataformas digitais de streaming e download de música, com apoio de divulgação das bandas nas redes sociais 

Os artistas devem ter trabalhos autorais e composições, no mínimo dois anos de experiência e já devem ter produzido e lançado alguma música em plataformas digitais. 

As inscrições estão abertas até o dia 3 de abril de 2020. Confira o regulamento completo.

20 de março de 2020

Lembrando Nazareth...

Ernesto Nazareth  (foto: TV Brasil/Divulgação)
Um dos compositores de maior importância para a cultura brasileira, Ernesto Nazareth nascido em 1863, no Morro do Nhéco, na capital do Rio de Janeiro, completaria hoje 157 anos. 

Nome expoente da música brasileira, Ernesto Nazareth deixou obra essencialmente instrumental, particularmente dedicada ao piano, cuja prática foi iniciada aos 10 anos, através de sua mãe também pianista. 
A produção musical do compositor teve inicio ainda bem jovem: aos 14 anos de idade, já havia realizado sua primeira composição, a polca lundu Você bem sabe. Além destas, todas as suas demais composições, apesar de extremamente pianísticas, por muitas vezes retrataram o ambiente musical das serestas e choros, expressando através do instrumento a musicalidade típica do violão, da flauta, do cavaquinho, instrumental característico do choro, fazendo-o revelador da alma brasileira, ou, mais especificamente, carioca. 

O piano esteve presente em toda sua trajetória musical e na cultura de sua época, e sem ele não é possível compreender sua obra. Sua prática é reveladora da febre pianística existente nos salões cariocas do início do século XX e ao mesmo tempo, expressa a ambição, que Ernesto Nazareth carregou por toda a vida, de tornar-se concertista erudito, mas sem conseguir reconhecimento e sucesso. 

A vida profissional de Nazareth foi  diversificada e construída no variado circuito de difusão da música da época, colaborando destacadamente para dar fama a sua obra. Suas composições foram publicadas por várias casas editoriais e tocadas nos salões privados.
Como produto desse criativo processo de construção, mistura e síntese musical, Ernesto Nazareth deixou registrados 88 tangos, 41 valsas, 28 polcas e mais hinos, sambas, marchas, quadrilhas, schottisches, foxtrotes, romances, entre outros gêneros, totalizando 212 composições.


Como referência, para melhor conhecimento da Obra de Ernesto Nazareth, não poderíamos deixar de lembrar o magnífico trabalho da saudosa associada do Clube do Choro de Belo Horizonte, a pianista Tânia Mara Lopes Cançado
Tânia Mara nos deixou como legado entre outros trabalhos importantes,  o CD Tributo a Ernesto Nazareth, gravado em 1988, na sala Cecília Meireles no Rio de Janeiro e apresentando em turnê por todo o Brasil e no exterior .
Conciliando suas atividades de concertista, docente e então diretora da Escola de Música da Universidade Federal de Minas Gerais, Tânia lançou este trabalho, originalmente em vinil e posteriormente em CD. com 10 faixas: Odeon; Sarambeque; Quebradinha; Famoso; Tenebroso; Confidências; Mercedes; Improviso; Nenê e Brejeiro, composições que resgatam alguns momentos brilhantes de Nazareth, entre as centenas que ele deixou registrada. 

Além do CD Tributo a Nazareth, Tânia Lopes Cançado é autora do livro "Pelos Tangos de Nazareth - da Rítmica africana à síncope brasileira" (2013) comemorativo aos 150 anos de nascimento do compositor Ernesto Nazareth. 
Na obra, a autora faz uma análise comparativa sobre a influência africana na formação dos ritmos populares das Américas no período colonial, apresentando uma síntese de sua tese de Doutorado defendida na Universidade de Shenandoah (EUA) intitulada “Uma Investigação sobre os ritmos africanos e haitianos no desenvolvimento da Habanera Cubana, do Tango/Choro Brasileiro e do Ragtime Norte-Americano - 1791-1900”. Neste trabalho ela analisa como a música africana influenciou de forma diversa a música popular nas Américas do Sul, do Norte e Central, dando origem a ritmos diferentes, mas com uma base comum e no livro mostra a importância de Ernesto Nazareth na sistematização desses ritmos, em especial a síncope afro-americana, que caracterizam hoje os padrões rítmicos da Música Popular Brasileira.

Sugerimos também que você visite a página Ernesto Nazareth 150 anos editada pelo Instituto Moreira Sales, onde poderá encontrar centenas de fotos reunidas de diversos acervos, além de documentos, biografia, fatos históricos entre outras informações e curiosidades relacionadas a Ernesto Nazareth.

19 de março de 2020

Salve o Canhotinho, Patrimônio Vivo de Pernambuco.

Francisco Soares Araújo - 19/3/1926- 24/4/2008
Hoje direcionamos nossa reverência ao músico paraibano Francisco Soares de Araújo, popularmente conhecido como Canhoto da Paraíba e que, nesta quinta-feira (19/03), faria 94 anos. Nascido em Princesa Isabel, no interior da Paraíba, Canhotinho morou no Recife durante 50 anos. Considerado um os grandes nomes do cancioneiro popular nordestino, fez parcerias com artistas como Pixinguinha, Radamés Gnattali, Paulinho da Viola e Zimbo Trio. 
Canhoto compôs choros com um "agradável sabor nordestino". Conta a lenda que ao ver Canhoto tocar pela primeira vez, Radamés Gnattali ficou tão impressionado que teria gritado um palavrão e jogado seu copo de cerveja para o teto e que o dono da casa, ninguém menos que Jacob do Bandolim, nunca teria apagado a mancha do teto para lembrar o momento (tudo indica que é apenas lenda).

Ao longo de sua carreira como compositor e instrumentista teve quatro discos lançados: “Pisando em brasa” (1993), “O violão brasileiro tocado pelo avesso” (1977) e “Único amor” (1968), além da coletânea “Instrumental no CCBB – Canhoto da Paraíba e Zimbo Trio” (19, 3). E pela sua importância foi também agraciado com o título de Patrimônio Vivo de Pernambuco.
Em 1998 Canhoto sofreu um AVC que o deixou com o lado esquerdo do corpo paralisado, ficando assim impossibilitado de prosseguir com sua carreira e, em 2008, após infarto, morreu aos 82 anos.

Canhoto da Paraíba & Paulinho da Viola - Heineken Concerts - Rio de Janeiro - 1994

O Acervo Digital do Violão Brasileiro nos presenteou hoje com uma magnífica playlist dedicada ao "Coringuinha" com interpretações que trazem, além do próprio Canhoto, nomes como  Yamandu Costa,  Caio Cezar, João Lyra, Toquinho,  Paulinho da Viola, Maurício Carrilho, Henrique Cazes, Paulão 7 Cordas, Fernando Caneca e Bozó, Apertem o play e ouçam sem moderação:

01. Tua Imagem - Toquinho - Disco: Boca da Noite
02. Visitando o Recife - Maurício Carrilho e João Lyra - Disco: Violões do Brasil
03. Com Mais de Mil - Yamandu Costa e Valter Silva - Disco: Yamandu Valter
04. Glória da Relâmpago - Canhoto da Paraíba com João Lyra e Bozó - Disco: Pisando em Brasa
05. Memórias de Sebastião Malta - C. da Paraíba e Raphael Rebello - Disco: Pisando em Brasa
06. Pisando em Brasa - Canhoto da Paraíba e Raphael Rabello - Disco: Pisando em Brasa
07. Revendo um amigo - Henrique Cazes e Paulão 7 Cordas - Disco:
08. Gaguejando - Trio de Câmara Brasileiro - Disco: Saudades de Princesa
09. Amigo Sena - Canhoto da Paraíba - Disco: O Violão Brasileiro Tocado pelo Avesso
10. Tá Quentinho - Canhoto da Paraíba e Raphael Rabello - Disco: Pisando em Brasa
11. Saudade de Princesa - Trio de Câmara Brasileiro - Disco: Saudades de Princesa
12. Lembrança Que Ficou - Canhoto da Paraíba - Disco: O Violão Brasileiro Tocado Pelo Avesso
13. Coringuinha (João Lyra) - João Lyra - Disco: Tocador
14. Subindo Ao Céu (Aristides Borges) - C. da Paraíba - Disco: O Violão Brasileiro...
15. 19 de Março - Canhoto da Paraíba com João Lyra e Bozó - Disco: Pisando em Brasa
16. Agudinho - Fernando Caneca - Disco: Visitando Canhoto da Paraíba
17. Reencontro com Paulinho - Trio de Câmara Brasileiro - Disco: Saudades de Princesa
18. Todo Cuidado é Pouco - Canhoto da Paraíba - Disco: O Violão Brasileiro Tocado pelo Avesso
19. Choro na Madrugada - Fernando Caneca - Disco: Visitando Canhoto da Paraíba
20. Lourdinha - Canhoto da Paraíba com João Lyra e Bozó - Disco: Pisando em Brasa
21. Gostosinho - Canhoto da Paraíba - Disco: Um violão direito nas mãos de um canhoto
22. Escadaria (Pedro Raimundo) - C. da Paraíba com João Lyra e Bozó - Disco: Pisando em Brasa
23. Abraçando Chico Soares (Paulinho da Viola) - Disco: Paulinho da Viola
24. Bônus: Jacob do Bandolim fala sobre Canhoto da Paraíba (Chico Soares) em 1959 - gravação caseira ao amigo Antônio D`Áuria 

Seleção musical : Alessandro Soares
Todas as músicas são de autoria de Canhoto da Paraíba, exceto Coringuinha e Abraçando Chico Soares, que João Lyra e Paulinho da Viola compuseram em homenagem a Canhoto, além de Subindo ao Céu (Aristides Borges) e Escadaria (Pedro Raimundo)