8 de novembro de 2013

HOJE TEM SANFONA NO CHORO, NA PRAÇA FLORIANO PEIXOTO.


O projeto “BH Instrumental”, realizado pela Veredas Produções, em parceria com o Instituto UNIMED BH, convida o acordeonista Marcelo Caldi, acompanhado por Fábio Luna (percussão, bateria e flauta) e Rogério Caetano (violão sete cordas), para show que promove o encontro da sanfona nordestina com o choro, gênero tipicamente carioca. “Tem Sanfona no Choro” será apresentado, pela primeira vez em Belo Horizonte, nesta sexta, 08 de novembro, às 20 horas, na Praça Floriano Peixoto. O acesso é gratuito.

Marcelo Caldi, pesquisador e idealizador do projeto, se dedica há 17 anos a pesquisa e experimentação das zonas limiares dos diversos estilos e tendências. A sua trajetória artística é marcada pela versatilidade, devido ao diálogo inovador com os precursores do “choro nordestino”, sem dispensar as pitadas contemporâneas de jazz e improviso.

A apresentação desta noite é resultado do projeto de Marcelo Caldi, “Tem Sanfona no Choro”, registro histórico, em livro e CD, de um artista singular na música brasileira, Luiz Gonzaga. No disco, valsas, mazurcas, polcas, quadrilhas e os “chamegos”, estilo instrumental que Gonzagão tentou emplacar antes do baião, dentro da linguagem do choro carioca. Na publicação, partituras cifradas dos choros deste ícone da música popular brasileira e transcritas pelo acordeonista. 
Neste trabalho, o compositor Marcelo Caldi realça os inusitados caminhos do instrumento de fole no Brasil. O músico também mostra o lado genial de grandes instrumentistas, como Luiz Gonzaga, Sivuca e Dominguinhos. No repertório, “Cabaceira mon amour” e “Cada um torce como pode”, de Sivuca; e “Princesinha no Choro” e “Nilopolitano”, de Dominguinhos.

O show “Tem Sanfona no Choro” já passou por diversas formações. Em 2011, homenageou Sivuca, com um quarteto de cordas, na mostra “Sanfoneando”, no Centro Cultural Banco do Brasil do Rio de Janeiro (CCBB – RJ). Logo em seguida, reuniu Bebê Kramer, Fábio Luna e Nando Duarte em show que fez referência a Dominguinhos, no Festival Vale do Café, em Vassouras, no Rio. Durante o ano do centenário de nascimento de Luiz Gonzaga, Marcelo Caldi compôs arranjos sinfônicos, executados pela Orquestra Sinfônica de Barra Mansa, Orquestra Petrobras e Orquestra Sinfônica do Recife, com participação da cantora Elba Ramalho.