31 de março de 2016

"Choro no Xico" abre mês de comemorações dedicadas ao chorinho


O Xico Nunes Savassi abre o mês dedicado às comemorações do dia do Choro promovendo uma animada roda com os músicos Vagner, Artur Pádua, Marcelo Jiran, Nixon, Ronaldo, Cícero e seus convidados. O show acontece nesta sexta, 1º de abril, a partir das 19 horas.
Programe-se.

SERVIÇO
Choro no Xico
Data: 1º de abril (sexta)
Horário: 19 horas
Local: Espaço Gastronômico Xico Nunes Savassi (culinária mineira)
Endereço: Rua santa Rita Durão, 1066 - Savassi
Couvert: R$10,00
Informações: (31) 3261-2056

30 de março de 2016

Regional do Muringueiro garante o chorinho desta quarta.


Na agenda de Choro da semana, o Regional do Muringueiro nos reserva para hoje, uma noite com clássicos do gênero e belas composições de chorões mineiros. O mestre Hélio Pereira, além de Marcelo Issa, Rafael Zavagli, Daniel Nogueira e Artur Pádua comandam a roda desta semana. Não percam.

SERVIÇO
Roda de Choro com Regional do Muringueiro
Data: 30/03 (quarta)
Horário: 19 horas
Local: O Muringueiro - R. Juacema, 416 - Bairro da Graça - BH
Entrada: R$10,00

29 de março de 2016

"ISTO É NOSSO": TERÇA DO CHORINHO COM DIREITO A FUTEBOL.

O Conjunto Isto é Nosso se apresentam hoje, a partir das 19 horas, consagrando as noites das terça-feiras ao Chorinho, no espaço gastronômico "Do Chef".
No palco estarão Thiago Balbino, Pedro Alvarez, Gustavo Monteiro, Artur Pádua, Daniel Nogueira e Ronaldo Pereira trazendo chorinho e futebol, pois haverá também no local, a transmissão do Jogo da Seleção Brasileira em partida das eliminatórias da Copa 2018.
Programe-se.

SERVIÇO
Roda de Choro com o Conjunto "Isto é Nosso"
Datas: 29 de março (terça-feira)
Horário: 19 horas
Local: Do Chef Espetos
Endreço: Av. Cônsul Antônio Cadar, 122 - Lj 1 - São Bento -Belo Horizonte
Informações: (31)8496-1060

E HOJE TEM "PROJETO ESQUINA DO CHORO"


O projeto "Esquina do Choro" continua com o melhor repertório, na interpretação de grandes instrumentistas. E hoje tem mais, no palco do Restaurante Contemporâneo.
Os associados do Clube Marcos Flávio (trombone) e Silvio Carlos (violão de 7 cordas), além de Warley Henrique (cavaquinho) e Ricardo Acácio (pandeiro) tocam a partir das 19 horas.
Programe-se.

SERVIÇO:
Projeto Esquina do Choro
Data: 29 de março 2016 (terça)
Horário: 19h00
Local: Contemporâneo Gstro Show- Av. Pasteur, 4 – Santa Efigênia – Belo Horizonte/MG
Couvert: R$15,00


28 de março de 2016

Projeto Cavaquinho Batuta lança campanha para financiar festival

Alunos do Projeto Cavquinho Batuta - Foto: divulgação

O Cavaquinho Batuta é um projeto cultural que se caracteriza em forma de oficinas musicais para crianças e adolescentes entre 7 e 14 anos, de diferentes classes sociais, na Cidade de Uberlândia - MG. É uma iniciativa singular que, através de uma metodologia própria, visa aprimorar a sensibilidade humana, promover a integração social e contribuir para a diminuição da violência e intolerância nas comunidades assistidas.

FESTIVAL CAVAQUINHO BATUTA

O " Festival Cavaquinho Batuta" ocorrerá nos dias 8 e 9 de julho deste ano, na cidade de Uberlândia, com as crianças e adolescentes participantes do projeto, e contará com a presença e participação dos cavaquinistas Camila Silva, (São Paulo) e Pedro Cantalice (Rio de Janeiro).

O Festival visa a troca de experiências desses grandes instrumentistas junto aos talentos mirins do Cavaquinho Batuta. Segundo o cavaquinista Thiago Santos, idealizador do projeto "esta será uma experiência única, que irá melhorar a percepção dos 30 participantes do projeto acerca da possibilidade de utilização do cavaquinho no cenário musical".

Após as oficinas que ocorrerão nesses dois dias, os participantes do projeto terão a possibilidade de se apresentarem no Teatro de Bolso, no dia 9 de julho, na cidade de Uberlândia, juntamente com Camila e Pedro.
Para que esta proposta se torne viável, o projeto lançou uma campanha de financiamento coletivo que permanece aberta até o dia 11 de maio. Contribuindo, você poderá receber difrentes recompensas além de viabilizar os recursos necessários para custear os valores com alimentação, passagens, acomodações dos convidados e toda logística do evento.

Conheça mais sobre o projeto através do site http://www.cavaquinhobatuta.com.br/ 
Veja como contribuir na campanha de financiamento coletivo acessando: 

25 de março de 2016

VIBRAFONISTAS NO CHORO.

Tese de mestrado de Rodrigo Heringer analisa as peculiaridades do aprendizado do Choro por vibrafonistas.


A dica de leitura de hoje do blog do Clube do Choro é a tese de mestrado do compositor e multi instrumentista, Rodrigo Heringer. Intitulada: "Vibrafonistas no choro e seus processos de formação: mediações e algumas contribuições à educação formal", o trabalho trata das características físicas do vibrafone e o seu conflituoso diálogo com a tradição do choro que dificultam o acesso de vibrafonistas a um ambiente de fundamental importância para o aprendizado desse gênero musical: as rodas.

Rodrigo Heringer. Foto: divulgação.
O condicionamento de tal aprendizagem ao contato ritual com as rodas de choro – sujeição denominada paradigma da roda – é, portanto, constantemente desafiada por vibrafonistas que se dedicam à performance do gênero. Estes se aproximam da prática do choro através de experiências múltiplas e heterogêneas, em diálogo com processos educacionais de características distintas. 

Através da presente pesquisa, o autor buscou compreender a maneira como cada um desses processos, peculiares à educação formal, não-formal e informal, se relacionam no aprendizado do choro por vibrafonistas. Dado o papel de mediação assumido por tais indivíduos ao buscarem a performance de um gênero inicialmente estranho à academia em um instrumento a ela muito familiar no Brasil, Heringer procura delinear como a ponte entre ambos é ensaiada e erigida por esses instrumentistas. 

A partir da aproximação com a roda de choro no bar do Salomão, localizado em Belo Horizonte, ele promove ainda uma reflexão acerca da aprendizagem do choro por vibrafonistas à luz da formação dos músicos de choro no contexto das rodas, analisando possíveis interlocuções entre os processos por eles vivenciados. Por fim, partindo das mediações realizadas pelos vibrafonistas quando em contato com o choro, aponta para possíveis contribuições extraídas de suas experiências às instituições formais de ensino em música. Entrevistas com vibrafonistas e músicos integrantes da roda no Salomão aliadas a um processo de observação participante no mesmo espaço compõem os procedimentos adotados por Heringer.

Se interessou? Então faça o download a partir deste link
Rodrigo Heringer é multi intrumentista nos grupos "Assanhado Quarteto" cujo repertório do primeiro álbum, "Feira" inclui diversos Choros e também do quarteto "Sem Receita" que promove , através de ararnjos próprios, releituras de Choros tradicionais. 
No vídeo abaixo, Heringer comanda o vibrafone no "Sem Receita" em arranjo do próprio grupo  para o Choro "Assanhado", composição de Jacob do Bandolim.

24 de março de 2016

"Uh!... Beraba". Segundo vídeo da Suíte Calendário do Afeto já está disponível.

Dando sequência à publicação mensal de vídeos dos movimentos da Suíte Calendário do Afeto, do compositor e associado Carlos Walter, disponibilizamos aqui o acesso ao 2º mês. A faixa Uh!... Beraba, composta ao longo da gestação do seu primogênito, é uma Salsa em Sol menor com pitadas de samba e o calor solar da latinidade: vida em movimento, pausa e síncope. 

Como nos elucida o próprio compositor: "a onomatopeia Uh! é típica do gênero. Sonoriza o clímax intermitente da náusea materna, metaforiza um canal extralinguístico de comunicação onomatopaica com o (a)feto e aflora lembranças de Uberaba, minha terra natal. O hibridismo entre salsa e samba é uma proeza rítmica internalizada a partir do arranjo de 2º violão que desenvolvi para o tema Sorte, uma congada do professor Sérgio Ramos que se transforma num samba vivaz!".

Ouça e aprecie o segundo movimento da Suite Calendário do Afeto.



A partitura e a tablatura cifradas desta composição estão disponíveis para download no site do compositor.

23 de março de 2016

"Regional do Muringueiro" reúne hoje grandes talentos do choro belorizontino.

Grandes talentos do Choro belorizontino reúnem-se hoje, a partir das 19 horas, para mais uma roda do "Regional do Muringueiro". Nesta quarta tocam Hélio Pereira, Renato Muringa, Marcela Nunes, Marcelo Issa, Rafael Zavagli, Daniel Nogueira, Flávio Fontenele e Artur Pádua.
Imperdível.

SERVIÇO
Roda de Choro com Regional do Muringueiro
Data: 23/03 (quarta)
Horário: 19 horas
Local: O Muringueiro - R. Juacema, 416 - Bairro da Graça - BH
Entrada: R$10,00

22 de março de 2016

"ISTO É NOSSO": TERÇA COM CHORO DE PRIMEIRA.

Hoje, a roda de choro com o Grupo "Isto é Nosso" acontece no "Do Chef Espetos". Thiago Balbino no bandolim, Pedro Alvarez na flauta, Gustavo Monteiro no violão de 7 cordas, Artur Pádua no violão, Daniel Nogueira no cavaquinho e Ronaldo Pereira no pandeiro prometem um repertório de primeira.
Programe-se.

SERVIÇO
Roda de Choro com o Conjunto "Isto é Nosso"
Datas: 22 de março (terça-feira)
Horário: 19 horas
Local: Do Chef Espetos
Endreço: Av. Cônsul Antônio Cadar, 122 - Lj 1 - São Bento -Belo Horizonte
Informações: (31)8496-1060

21 de março de 2016

Quarta Cultural do Conservatório UFMG traz o melhor do chorinho com Zé Carlos e amigos.

José Carlos Choairy - Foto: divulgação

Neste mês de março, o Conservatório UFMG retomou sua programação de eventos, oferecendo à população uma agenda cultural voltada para a formação de público e a divulgação de novos artistas. E o Choro já é programa na próxima Quarta Cultural, quando se apresentam o cavaquinista José Carlos Choairy e amigos. O show acontece às 12h30 e tem entrada franca.

No palco, o grupo formado Zé Carlos (cavaquinho), Agostinho Paolucci (violão sete cordas), Arthur Pádua (violão), Daniel Nogueira (cavaquinho), Pedro Alvarez (flauta) e Carlos Boechat (pandeiro) apresenta entre as lindas peças do repertório do Choro, algumas com o objetivo de evidenciar o trabalho dos violões (seis e sete cordas) dentro do gênero e, também, presta uma homenagem póstuma aos grandes músicos e chorões Waldir Silva e Mozart Secundino, o cavaquinho e o violão que permanecem ecoando nos ouvidos e corações dos chorões de nossa cidade.

O público poderá apreciar as seguintes composições: Tempos de Criança (Dilermando Reis), Brasileirinho (João Pernambuco), Sentido (Waldir Azevedo), Flausina (Pedro Galdino), Revendo o Passado (Freire Junior), Duas Lágrimas (Waldir Silva), Flor do Cerrado (Waldir Azevedo), Evocação de Jacob (Avena de Castro), Desprezado (Pixinguinha), Cinema Mudo (Waldir Azevedo e Klecius Caldas), Luz e Sombra (Waldir Azevedo), Cuidado Violão (José Toledo) e Entre Mil...Você (Jacob do Bandolim).

SERVIÇO
Projeto Quarta Cultural apresenta: Zé Carlos e amigos
Data: 23 de março de 2016 – Quarta-feira
Horário: 12h30
Local: Conservatório UFMG – Av. Afonso Pena, 1534 – Centro BH/MG
Entrada: franca.
Info: 3409-8300

19 de março de 2016

HOJE TEM CHORINHO NO PALCO DO PEDACINHOS DO CÉU


Hoje, a partir das 21hs, tem o melhor do chorinho no palco do Pedacinhos do Céu, tradicional reduto deste gênero musical na capital mineira. 
Ausier Vinícius (cavaquinho solo), Geraldinho (7 cordas), Cícero Santos Moura (flautas), Cézar (bandolim), Alexandre Bacalhau (cavaquinho) e Rubens Henrique Costa (pandeiro) comandam a roda e esperam por vocês. Não percam!

SERVIÇO:
Roda de Choro no Pedacinhos do Céu
Data: 19 de março 2016 – sábado
Horário: 21h00
Local: Pedacinhos do Céu - Rua Belmiro Braga, 774- Bairro Alto Caiçara. BH
Informações e reservas: (31) 3462-2260 e (31) 8899-6624

18 de março de 2016

Tarde de Chorinho com o Trio Bola Preta.


O Trio Bola Preta se apresenta na tarde deste sábado, 19 de março, na Efêmera Casa de Arte, espaço localizado no Bairro Santa Tereza.Natália Mitre na percussão, Mariana Bruekers na flauta e Francisco Medina no violão trazem o melhor do chorinho num repertório que inclui clássicos do gênero e o repertório de seu álbum "Saideira". Vale conferir.

SERVIÇO
Choro com o Trio Bola Preta
Data: 19 de março - sábado
Horário: 16 hs
Local: Efêmera Casa de Arte. Rua Adamina, 125, Santa Tereza. BH

17 de março de 2016

Choro de Varanda toca neste domingo, no Butiquim Vila Rica.

Grupo Choro de Varanda . Foto: divulgação
No próximo domingo, 20 de março, a partir das 18 horas, o grupo "Choro de Varanda" comanda a roda em um dos mais tradicionais redutos de BH: o Butiquim Vila Rica, antigo Bar do Bolão. 

No novo palco do espaço fundado por Raimundo José dos Reis, o Bolão estarão os músicos Daniel Rosa (7 cordas), Guizé Medeiros (flauta), Marcos Ruffato (bandolim), Rafael Pimenta (cavaquinho) e Rubens Costa (pandeiro) apresentando um repertório com a mais autêntica música brasileira, homenageando Pixinguinha, Jacob do Bandolim, Cachimbinho, Altamiro Carrilho, Chiquinha Gonzaga, Waldir Azevedo e muitos outros.

SERVIÇO
Roda de Choro com Grupo "Choro de Varanda"
Data: 20 de março 2016 (domingo)
Horário: 18h00
Local: Botequim Vila Rica (Antigo Bar do Bolão) - Rua Vila Rica 637 – Padre Eustáquio – Belo Horizonte/MG
Couvert artístico: R$10,00

16 de março de 2016

Hoje tem roda de Choro com o Regional do Muringueiro.


Quarta é dia de Regional do Muringueiro e, logo mais, a partir das 19 horas, tem o melhor do chorinho para você. Renato Muringa no bandolim, Marcela Nunes na flauta, Marcelo Issa no violão, Rafael Zavagli no cavaquinho e Daniel Nogueira no pandeiro trazem o melhor do gênero, em um repertório de primeira.
"O Muringueiro", espaço gastronômico cultural fica localizado no bairro da Graça. Programe-se.

SERVIÇO
Roda de Choro com Regional do Muringueiro
Data: 16/03 (quarta)
Horário: 19 horas
Local: O Muringueiro - R. Juacema, 416 - Bairro da Graça - BH
Entrada: R$10,00

Conjunto Isto é Nosso com entrada franca, no "Circuito de Música Acústica".


Nesta quinta-feira, dia 17, a partir das 20h, você confere um show gratuito do Conjunto Isto é Nosso, no MM Gerdau - Museu das Minas e do Metal. 
O Isto é Nosso - Conjunto de choro formado pelos músicos Thiago Balbino (bandolim), Gustavo Monteiro (violão 7 cordas), Artur Padua (violão), Daniel Nogueira (cavaquinho), Ronaldo Pereira (pandeiro) e Pedro Alvarez ( flauta) tem por proposta apresentar o modo de tocar choro que mais caracterizou o gênero durante sua história: a combinação entre os violões de 7 e 6 cordas (em harmonia e contrapontos), respaldada pelo ritmo do cavaquinho e do pandeiro, que formam, no jargão musical, uma confortável "cama" para que o solista (no caso, o bandolim) desenvolva toda a beleza da melodia. Ao final, tudo soa maravilhosamente como se apenas um instrumento estivesse tocando. 
Os ingressos são gratuitos, restritos a dois por pessoa, com retirada no local do show uma hora antes do espetáculo.

SERVIÇO
Circuito da Música Acústica apresenta: Conjunto Isto é Nosso
Data: 17/03/2016 (quinta)
Horário: 20 horas
Local: MM Gerdau - Museu de Minas e do Metal - Praça da Liberdade S/Nº (Prédio Rosa)- Belo Horizonte
Entrada: Gratuita - sujeita à lotação
Informações: 31 3516-7200 contato@mmgerdau.org.br

15 de março de 2016

HOJE TEM "ESQUINA DO CHORO".


O "Esquina do Choro", projeto promovido pelo Restaurante Contemporâneo que teve estreia em fevereiro, continua este mês com a apresentação de grandes nomes do Choro belorizontino. 
Nesta terça, 15 sobem ao palco os associados do Clube Marcos Flávio (trombone) e Silvio Carlos (violão de 7 cordas), além de Warley Henrique (cavaquinho) e Ricardo Acácio (pandeiro).
O show começa às 19 horas e promete o melhor para os amantes do gênero.

SERVIÇO:
Projeto Esquina do Choro
Data: 15 de março 2016 (terça)
Horário: 19h00
Local: Contemporâneo Gstro Show- Av. Pasteur, 4 – Santa Efigênia – Belo Horizonte/MG
Couvert: R$15,00
Informações: (031) 3327-8937

FEIRA BRASILEIRA NO VELHO MUNDO.

Assanhado Quarteto divulga o CD "Feira" em sua primeira turnê internacional.


Os músicos André Milagres, Lucas Ladeia, Rodrigo Henringer e Rodrigo Magalhães fazem parte do Assanhado Quarteto, que lançou seu primeiro CD - FEIRA - no dia 30 de agosto de 2015. O grupo – que propõe a execução de um repertório de choro com instrumentos não convencionais para o gênero musical, como baixo-acústico, bateria, guitarra e vibrafone, somados aos tradicionais violão de sete cordas e cavaquinho – se prepara para sua primeira turnê internacional, que irá ocorrer entre 20 de março e 3 abril de 2016.

Assanhado Quarteto - Foto: Divulgação.
Após o lançamento do disco, o quarteto recebeu o convite para se apresentar e realizar oficinas de música no XII Festival Internacional de Choro de Paris, que acontece entre os dias 01 e 03 de abril de 2016. Este projeto, organizado pelo Club du Choro de Paris, permite o encontro de músicos de choro vindos de diversas regiões da França, da Europa e do mundo. O grupo se apresentará ainda na Bélgica e em Portugal, com um som autoral, repleto de personalidade, inovação, e claro, muita brasilidade.

Criado em 2011, os integrantes do Assanhado se dedicaram à pesquisa, arranjos e composições que combinassem com esta nova cara do choro. Pouco depois, conheceram Mário Sève, produdor do disco Feira, que, ao conhecer o trabalho do quarteto, ficou impressionado com o repertório que dialoga com choro, mas, também, com outros estilos musicais. “Logo me chamou atenção a determinação de gravarem composições autorais com uma genuína formação instrumental, que mesclava cavaquinho, violão, bateria, percussão ao baixo e vibrafone, este um instrumento pouco usual no universo musical do choro”, conta Mário.

Serviço: 
Turnê Internacional de lançamento do CD "Feira" do Assanhado Quarteto.
Data: entre 20 de março e 3 de abril de 2016
Locais: Portugal, Bélgica e França

14 de março de 2016

Publicado edital para seleção de grupos instrumentais interessados em participar do Projeto BH Instrumental 2016.

A Veredas Produções, em parceria com Instituto Unimed-BH, divulga o terceiro Edital de seleção para apresentações de grupos locais no projeto BH Instrumental 2016
2
A série BH Instrumental, realizada pela Veredas Produções, em parceria com Instituto Unimed-BH, lança um novo edital para participação de grupos instrumentais de Belo Horizonte e região metropolitana como atrações de abertura dos shows do projeto em 2016, na Praça Floriano Peixoto, e de grupos de chorinho na Praça da Saúde, integrando a programação do Circuito Instituto Unimed-BH. Esta ação é mais uma oportunidade para que artistas do cenário instrumental possam apresentar e divulgar os seus trabalhos, com o objetivo de valorizar, destacar e promover o gênero na capital.

O prazo para as inscrições na terceira edição do edital é de 29 de fevereiro a 28 de março de 2016, até as 18 horas, por meio do e-mail editalmusical@veredasproducoes.com.br através da ficha de inscrição disponibilizada junto ao edital.
O regulamento está disponível nos sites:

9 de março de 2016

Toca de Tatu faz show nesta quinta, com entrada franca.


O “Grupo Toca de Tatu nasceu em Belo Horizonte da união de jovens instrumentistas que buscam construir um trabalho de redescoberta e valorização da música brasileira de todos os tempos, elaborando arranjos e composições próprias. Tendo o Choro como referência primária, o grupo explora também outros gêneros e linguagens musicais. Possuem como características marcantes o refinamento de timbre, o cuidado com os arranjos, a influência da música de câmara de concerto e a brasilidade da música popular, o que resulta em uma sonoridade original e criativa.
Nesta quinta-feira, dia 10, a partir das 20h, você confere um show gratuito do grupo, no MM Gerdau - Museu das Minas e do Metal. No mesmo dia toca também o Minimalista (Thales Silva).
Os ingressos são gratuitos, restritos a dois por pessoa, com retirada no local do show uma hora antes do espetáculo – sujeito à lotação.

Escute um pouco do som do Toca de Tatu:

SERVIÇO
Circuito da Música Acústica apresenta: Grupo Toca de Tatu
Data: 10/03/2016 (quinta)
Horário: 20 horas
Local: MM Gerdau - Museu de Minas e do Metal - Praça da Liberdade S/Nº (Prédio Rosa)- Belo Horizonte
Entrada: Gratuita - sujeita à lotação
Informações: 31 3516-7200 contato@mmgerdau.org.br

8 de março de 2016

Roda de Choro e samba da Casinha convida Vitor Santana.


No próximo sábado, a tradicional Roda de Choro e Samba da Casinha convida Vitor Santana que toca ao lado de Pablo Dias (cavaquinho), Lucas Garcia (surdo), Marcelo Albert (voz e pandeiro) e Nego Véio (percussão). A roda começa às 16 horas. Programe-se,

SERVIÇO
Roda de Choro e Samba da Casinha convida Vitor Santana
Data: 12 de março de 2016
Horário: 16hs
Local: Associação Cultural Casinha - Rua Juiz de Fora, 114 - Barro Preto - BH
Maiores informações: no facebook ou pelo email: email@casinha.art.br

4 de março de 2016

SEXTA COM CHORO NO "O MURINGUEIRO".


A programação de hoje, sexta, 4 de março, no "O Muringueiro" fica por conta de Marcela Nunes (flauta) e Renato Muringa (voz, bandolim e violão). 

O repertório promete clássicos do Choro e samba, incluindo ainda lindas composições da dupla, já registradas em seu primeiro Cd "Em casa". 
Programe-se. 

SERVIÇO
O Muringueiro apresenta: Marcela Nunes e Renato Muringa
Data: 04/03 (sexta)
Horário: 19 horas
Local: O Muringueiro - Rua Juacema, 416 - Bairro da Graça - Belo Horizonte
Entrada: R$10,00
Informações: contato@muringa.com.br

HOJE NA HISTÓRIA DO CHORO.

Ademilde Fonseca ainda reina como majestade do Choro Cantado.


Nascida em 4 de março de 1921 em São Gonçalo do Amarante, Rio Grande do Norte, Ademilde Fonseca completaria hoje 95 anos. 

Ela, que é considerada a maior intérprete do choro cantado, nos deixou interpretações preciosas, que justificam o título de a "Rainha do Choro" que lhe foi conferido por Benedito Lacerda. Apesar de seu falecimento em em 27 de março de 2012, o título e a majestade continuam lhe pertencendo pois Ademilde é a pura tradução do verso de "Brasileirinho" que diz: "não há quem possa resistir, quando o chorinho brasileiro faz sentir".

Ademilde inscreveu seu nome na história da MPB graças ao êxito obtido pelas gravações de Tico-tico no fubá, Apanhei-te, cavaquinho e Urubu malandro, entre inúmeros outros achados da década de 40. Almejando difundir o talento musical nordestino Brasil afora, sua trajetória não foi muito diferente da de seus conterrâneos. Ainda cedo rumou para o Rio de Janeiro, cidade que, na época, dando abrigo às mais prestigiadas rádios do país, polarizava todas as esperanças de sucesso. 
O choro, gênero que projetou sua carreira de maneira bastante peculiar, entrou antes em sua vida: aos sete anos de idade, quando aprendeu, para se exibir numa festa da escola, a quase desconhecida letra de Tico-tico no fubá —choro composto em 1917 por Zequinha de Abreu e letra escrita por Eurico Barreiros, após a morte do compositor. 
Mas foi na década de 40, no Rio de Janeiro, que sua carreira se projetou nacionalmente, após ser apresentada a Benedito Lacerda (encontro do qual nasceu uma grande afinidade) passou a trabalhar na Rádio Clube e, muito embora não fosse contratada, cantava acompanhada pelo regional do flautista. 
Incentivada por esses mestres, a cantora foi aos estúdios da gravadora Columbia, na época dirigida por João de Barro (o Braguinha), em agosto de 1942 e fez a sua primeira gravação: Tico-tico no Fubá. O 78 rotações que marcaria sua estreia e também sua carreira com outros tantos Choros que foram imortalizados em sua voz.



Após o sucesso da versão instrumental de "Brasileirinho", lançada em 1949 por Waldir Azevedo em seu disco de estreia, Pereira Costa escreveu versos, que seriam gravados por Ademilde Fonseca na mesma Continental, com lançamento em julho de 1950, disco 16256-A, matriz 2315. "Brasileirinho" foi um dos carros-chefes da cantora potiguar.


Em 2010, a Cantora mineira Lígia Jacques, associada ao Clube do Choro de BH, fez uma linda homenagem à mestra, através do álbum "Choro Cantado". A proposta do projeto Choro Cantado foi justamente registrar e resgatar choros que se destacam também pelas letras. O objetivo da produção foi unir música e letra com precisão, valorizando a poesia e a interpretação. Este trabalho foi apresentado à Ademilde Fonseca ainda viva e entrou para a lista das merecidas homenagens por ela recebidas.

Hoje no Choro, Ademilde  Fonseca completa 95 anos. Parabéns Rainha.

3 de março de 2016

"Composição instantânea. Apontamentos sobre improvisação", do mineiro Alvaro Walter é a nossa boa dica literária de hoje.


Hoje, a excelente dica literária que o blog do Clube do Choro de BH traz para seus leitores é de autoria do mineiro de Mariana, Alvaro Augusto Walter. "Composição instantânea. Apontamentos sobre improvisação", lançado com recursos do Fundo Municipal de Cultura da Fundação Cultural da Prefeitura de Uberaba.
Sobre a obra, nos assinala o próprio Walter: "vivenciando a música por muitos anos como instrumentista e compositor, sempre coloquei como desafio a improvisação musical, simplesmente porque ela oferece ao instrumentista a oportunidade de expressar a sua habilidade criativa.
Improvisando apenas intuitivamente, fui procurando opiniões de músicos improvisadores, ouvindo gravações e adquirindo métodos capazes de me direcionar no caminho de uma improvisação menos empírica.
Resolvi, então, apresentar esses apontamentos para fixar os conceitos aprendidos e transmiti-los a outros interessados na 'arte da improvisação'."
Para adquirir a obra, click aqui

SOBRE O AUTOR

Alvaro Walter.  Foto: divulgação
Aos três anos de idade foi inserido, como mascote, no seio da Sociedade Musical “União 15 de Novembro”, da qual o seu avô Augusto Walter foi um dos principais fundadores. Seu pai Aníbal Walter, seus tios, irmãos e primos totalizavam nove elementos na famosa banda marcial daquela cidade.Aos oito anos de idade começou a tocar trompa passando logo em seguida para o sax-horn. Aos quatorze anos iniciou os seus estudos no clarinete e no saxofone soprano. Aos quinze anos compôs a sua primeira música: a valsa “Meus quinze anos”. Aos dezesseis anos passou a tocar, definitivamente, o saxofone tenor – seu instrumento predileto. 

Walter foi integrante do “Jazz Band Quiriri”, integrado por seus Tios Joãozinho e Niquinho e o amigo Lucas. Juntos formaram um dos mais arrojados quartetos de saxofones do Estado. Aos dezoito anos, ingressou na Corporação Musical Senhor Bom Jesus de Matozinhos da cidade de Ouro Preto-MG, ocasião em que servia o Exército. Em 1960, mudou-se para Belo Horizonte. Admitido na Ordem do Músicos do Brasil, tornou-se músico profissional, participando de orquestras e conjuntos, “confeccionados na hora” segundo improvisadas contratações no “ponto dos músicos”. Por mais de cinco anos abrilhantou as noites dançantes da “Boate Tejuco” no Hotel Amazonas, no centro da Capital. Em 1966, voltando a morar em Mariana, criou o “Conjunto Serenata”. Sempre tocando e compondo músicas para a Banda “União 15”, assumiu, em 1969, a regência, substituindo seu pai, o maestro Aníbal Walter.

Possui aproximadamente cinqüenta composições, harmonizadas para bandas marciais, entre sinfonias, valsas, dobrados, choros e maxixes. Em 1972, nomeado “Fiscal de Tributos” pelo Governo do Estado de Minas Gerais, foi lotado em Uberaba onde desenvolveu sólida carreira. Apesar de ter se formado em Ciências Exatas pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais, em Ciências Econômicas e em Administração de Empresas pela Faculdade de Ciências Econômicas do Triangulo Mineiro, pouco exerceu quaisquer uma dessas profissões, pois o seu coração sempre esteve voltado para a “música”. 

Desde 1994 é componente do grupo “Choro Cultura” como solista, ao lado de Reinaldo 7 cordas, Faustinho do cavaco, Baroni do pandeiro, Gibinha do Bandolim e Barão (voz). Aposentado desde 1999 tem se dedicado, especialmente, à música, incursionando por diversos gêneros (choros, bossa nova, jazz, valsas...) a partir de minuciosos estudos sobre harmonia, improvisação, rítmica e arranjo. Desse modo, tem elaborado arranjos para Bandas Marciais do Estado de Minas e, especialmente, para Banda do 4º Batalhão da Polícia Militar do Estado de Minas Gerais e para a orquestra do Colégio Tiradentes. 

Em reconhecimento ao seu trabalho musical, foi agraciado em 2006 pelo Comando Geral da Policia Militar com o “diploma de colaborador benemérito” pelos relevantes serviços prestados à corporação e em 2012 com o “diploma de honra ao mérito” pelos relevantes serviços prestados à Sociedade Musical União XV de Novembro. Já gravou doze CD’s interpretando composições populares e eruditas.

Além da obra que hoje apresentamos, ele também publicou “No crepúsculo da mocidade: arranjos e composições marciais de Aníbal Walter reconstituídos por Alvaro Walter”, "Composições e Arranjos de Alvaro Walter organizados por Carlos Walter" Volumes 1, 2, 3, 4 e escreveu ainda dois compêndios: “O saxofone e suas peculiaridades” e “Arranjo: cartilha para bandas marciais”.


2 de março de 2016

Logo mais, tem roda de Choro com Regional do Muringueiro.



O Regional do Muringueiro toca logo mais, a partir das 19 horas, em sua tradicional roda de Choro das quartas-feiras. 
"O Muringueiro", espaço gastronômico cultural fica localizado no bairro da Graça. Programe-se e vá curtir o melhor do chorinho saboreando deliciosos tira gostos.





SERVIÇO
Roda de Choro com Regional do Muringueiro
Data: 02/03 (quarta)
Horário: 19 horas
Local: O Muringueiro - Rua Juacema, 416 - Bairro da Graça - Belo Horizonte
Entrada: R$10,00
Informações: contato@muringa.com.br