"NELSON, O ETERNO BOÊMIO" - SHOW COM ACIR ANTÃO E CLUBE DO CHORO DE BH - 13 DE MARÇO - TEATRO DO MINAS TENIS CLUBE - INGRESSOS À VENDA: BILHETERIA DO TEATRO E SITE EVENTIM.

31 de janeiro de 2020

112 anos do Maestro Fon Fon, o primeiro maestro de orquestras no Brasil a utilizar naipes de saxofones e metais.

Ele nasceu Otaviano de Assis Romeiro Monteiro, em 31 de janeiro de 1908, em Alagoas, mas entrou para a história da música brasileira como Maestro "Fon Fon".  

Otaviano Romeiro Monteiro - Maestro Fon Fon
Aos 10 anos, Otaviano Romeiro Monteiro, filho de Amaro Romeiro e Luzia de Assis, já tocava pífanos, em Santa Luzia do Norte (AL). Ainda jovem, mudou-se para São Paulo e ingressou no Batalhão de Polícia com a intenção de fazer parte da banda de música, o que não conseguiu, pois não sabia ler partitura.
Deixando a Força Pública paulista, regressou para Alagoas, onde trabalhou como correntista em escritório e começou a estudar música. Em 1927, perseguindo seu sonho da carreira musical, mudou se para o Rio de Janeiro e ingressou no Regimento de Infantaria. Na capital carioca, estudou música com o contramestre Garrafinha. Aprendeu saxofone com o músico Dedé, que lhe deu o apelido, pois ao tocar o saxofone, não tirava direito os agudos, fazendo apenas um simples "fon fon".

Orquestra Romeu Silva, onde o saxofonista Fon Fon tocou no início da sua carreira no Rio de Janeiro.
Em 1930, Otaviano Monteiro abandonou o Exército e passou a dedicar-se apenas à música, iniciando sua profícua carreira musical no Brasil e no exterior. Iniciou como integrante da Orquestra de Romeu Silva, com quem excursionou pela Argentina. 
Em 1933, fez sua primeira gravação, interpretando ao saxofone o choro "Cláudio", de Paulino de Oliveira Santos, com acompanhamento de conjunto regional e no ano seguinte, criou sua primeira orquestra, para atuar no Cassino Assyrio no Rio de Janeiro, e que contou, entre outros, com Zaccarias na clarineta, Fats Elpídio no piano, Pernambuco no piston e Moysés Friedman na bateria. Foi o primeiro maestro de orquestras no Brasil a utilizar naipes de saxofones e metais, dando a sua orquestra uma sonoridade especial. 

Maestro Fon Fon e seus músicos em Londres
No início da década de 40, excursionou com sua orquestra para a Argentina e nos anos seguintes, acompanhou com sua orquestra, na Odeon, grandes artistas como Francisco Alves, Gilberto Alves, Ataulfo Alves, Odete Amaral, Jararaca e Ratinho, Dircnha Batista, Moreira da Silva, Joel e Gaúcho, Almirante, Emilinha Borba, Aracy de Almeida, Raul Torres e Serrinha, além de gravar choros e polcas de compositores de sucesso como Ernesto Nazareth.
Em 1944, a cantora Odete Amaral gravou o choro "Murmurando", de autoria do Maestro Fon Fon, com letra de Mário Rossi, que se tornou um clássico do choro cantado e das rodas de Choro instrumental.
Em 1947, após receber convite do Club Champs Elysées ele foi com sua orquestra para Paris, permanecendo na Europa por quatro anos, apresentando-s em diversos países, inclusive na Grécia, onde faleceu prematuramente em 10/8/1951.

Joel Nascimento - bandolim, João Camarero - violão 7 cordas , Marcos Nimrichter - acordeon, Beto Cazes - percussão, Henrique Cazes - cavaquinho interpretam Murrmurando, de autoria do Maestro Fon Fon, com letra de Mário Rossi. Vídeo: Instrumental Sesc Brasil.

DISCOGRAFIA
NO BRASIL
(1932) Cláudio • Columbia • 78
(1944) Rato, rato/Deixa por minha conta • Odeon • 78
(1945) Turbilhão de beijos/Odeon • Odeon • 78
(1946) Soluços/Aguenta a mão • Continental • 78
(1946) Relembrando/Liszamba • Continental • 78
(1946) Um baile em Catumbi/Murmurando • Odeon • 78
(1947) Já vai tarde/Você não pensou • Odeon • 78
(1947) Urubu malandro/Remeleixo • Odeon • 78
(1948) No meu tempo era assim/É assim que eu gosto • Odeon • 78
NO EXTERIOR
(1950) Fon-Fon et as musique du Brésil • London • LP
(Na excursão realizada para Paris, gravou pelo selo London o LP "Fon-Fon et as musique du Brésil", não editado no Brasil).
(1951) foi lançado pelo selo London, da Inglaterra, o LP de 10 polegadas "Fon Fon Brazilian Rhytms" que contou com a participação vocal da cantora Horacina Correia nas faixas "Na Baixa do Sapateiro", de Ary Barroso, "Deseo", de Bienvenido Granda, "Passo do Ginga", de Sá Róris, "Chiquita Bacana", de João de Barro e Alberto Ribeiro, "Jacarepaguá", de Paquito, Romeu Gentil e Marino Pinto, "Terra Seca", de Ary Barroso, e "Zumba", de Murilo Caldas e Moysés Friedman, ainda fizeram parte do disco as faixas instrumentais "Os Pintinhos no Terreiro", de Zequinha de Abreu, e "Remechendo", de Radamés Gnattali.

Que tal participar de um concurso de música na caixinha de fósforos?


Gosta de música? É criativo? Então, chegou a hora de mostrar seu talento musical a ainda faturar prêmio através do concurso promovido pela Fósforo Gaboardi.
Para participar é necessário gravar um vídeo e postar no YouTube cantando uma música de sua autoria usando exclusivamente como instrumento de som a caixinha de fósforo Gaboardi. O ritmo fica por sua conta: vale choro, samba, forro, repente, entre outros. Vamos lá participar?!
O vídeo mais votado ganha o primeiro lugar mas do 2º ao 50º lugar também ganham.
Conheça aqui o regulamento completo e faça sua inscrição no site do concurso: www.concursogaboardi.com.br. As inscrições permanecem abertas até 22/03/2020.

30 de janeiro de 2020

Hoje o chamado do Chorinho é do Oca Livre.

Hoje o chamado do Chorinho é do Oca Livre, espaço localizado no Santa Efigênia. É só chegar para curtir um um happy hour com rodada dupla de Chopp até as 20 horas e o melhor, em clima de roda de Choro.
Reúna os amigos e aproveite. A Casa abre às 18 horas e tem entrada gratuita.

SERVIÇO
Roda de Choro no Oca Livre
Data: 30 de janeiro 2020 (quinta)
Horário: 19 horas
Local: Rua Tenente Anastácio de Moura, 657 - Sta. Efigênia
Entrada: gratuita



Para já entrar no clima, ouça um pouco do Chorinho que acontece nas rodas do Oca Livre.



29 de janeiro de 2020

Regional do Japa ataca de Chorinho em mais uma quarta maravilhosa.



O Regional do Japa ataca de Chorinho em mais uma quarta maravilhosa no DuDan Bar, espaço localizado no Cidade Jardim. Logo mais, a partir das 19 horas, tem roda com uma turma de músicos da maior grandeza. Programe-se.

SERVIÇO
Roda de Choro no DuDan
Data: 29 de janeiro 2020 (quarta)
Horário: 19 horas
Local: Dudan Bar - Av. Prudente de Morais, 1330 - Cidade Jardim
Informações: (31) 99189-7419

"Roda da Madrugada" com Choro Amoroso às quartas n'A Casa de Cultura.


Toda quarta-feira é dia da já tradicional "Roda da Madrugada", promovida pelo percussionista mineiro Túlio Araújo e seu excelente grupo Choro Amoroso, n'A Casa de Cultura no bairro Santa Efigênia.

Formado por Túlio Araújo no pandeiro, Augusto Cordeiro no violão, Pablo Dias no cavaco, Bruno Teixeira na flauta, Pedro Gomes no ukulele baixo e Pablo Malta no bandolim, o sexteto apresenta semanalmente um repertório irreverente e não óbvio, partindo da sonoridade tradicional do choro e de mestres como Pixinguinha, Jacob do Bandolim e Waldir Azevedo mas abrindo espaço para modernidades e improvisações jazzísticas de nomes como Hermeto Pascoal, Edu Lobo, Dominguinhos, Juarez Moreira e Moacir Santos, entre outros. Composições próprias dos integrantes do grupo também fazem parte do repertório, já que em 2019 lançaram 3 singles disponíveis em todas as plataformas digitais.

As portas se abrem às 22 horas, o show começa à meia-noite em ponto e se estende até altas horas da madrugada. É uma opção diferente na cidade que abrange a participação de inúmeros músicos que chegam, após seus compromissos musicais, para canjas incríveis.

SERVIÇO
Roda da Madrugada com Túlio Araújo e Choro Amoroso
Data: 29 de janeiro (quarta-feira)
Horário: 22 horas (Portas) | 0h (Show)
Local: n'A Casa de Cultura- Rua Padre Marinho, 30 - Santa Efigênia, BH
Couvert: R$ 10,00
Informações: (31) 998982459

28 de janeiro de 2020

Quarta é dia de Choro do Jura. Chega cedo e desfruta.

Quarta é dia de Choro do Jura, uma roda mais que animada que ocupa O Juramento 202, no bairro Pompéia. 

O buteco da Cervejaria Viela, é um endereço que já entrou para a história das noites de BH,  oferecendo opções de cervejas artesanais de micro-cervejarias, além de tiragostos variados.

Para saber o quão especial é o ambiente e o time que se revesa na roda de Chorinho, é só comparecendo mesmo. Aproveita que a roda começa às 19 horas. Chega cedo e desfrute.



SERVIÇO
Choro do Jura
Data: 29 de janeiro (quarta)
Horário: 19 horas
Local: Cervejaria Viela - Rua Juramento 202 - Bairro Pompéia


Roda do Jura toda quarta no Juramento 2020 - Vídeo: Divulgação


27 de janeiro de 2020

Waldir Azevedo completaria hoje 97 anos.

Hoje, 27 de janeiro, Waldir Azevedo estaria completando 97 anos. Ele que sonhou ser piloto de avião, levou o cavaquinho às alturas, retirando este instrumento de seu papel de mero acompanhante no choro e o colocando em destaque como instrumento de solo e explorando de forma inédita as suas potencialidades.
Waldir voou alto na música brasileira e partiu para seu "voo solo" em 20 de setembro de 1980, aos 57 anos, mas deixando uma obra memorável.
Confira abaixo alguns dados de sua vasta  produção musical:






COMPOSIÇÕES MAIS FAMOSAS
  • Maresias bela vista
  • A tuba do vovô
  • A voz do cavaquinho
  • Alvoroço
  • Amigos do samba
  • Arrasta-pé
  • Baião do neném (com Paulo Jorge)
  • Balada oriental
  • Bo bo bom
  • Brasileirinho
  • Brincando com o cavaquinho
  • Cachopa no frevo
  • Camundongo (com Risadinha do Pandeiro)
  • Carioquinha
  • Cavaquinho seresteiro
  • Cinco malucos
  • Chiquita
  • Chorando escondido
  • Chorando calado
  • Choro doido
  • Choro novo em dó
  • Colibri
  • Contando tempo
  • Contraste (com Hamilton Costa)
  • Conversa fiada (com Jorge Santos)
  • Dançando em Brasília
  • Delicado
  • Dobrado, embrulhado e amarrado
  • Dois bicudos não se beijam
  • Flor do cerrado
  • Frevo da lira (com Luiz Lira)
  • Guarânia sertaneja
  • Já é demais (com Jorge Santos)
  • Jogadinho
  • Lamento de um cavaquinho
  • Lembrando Chopin (com Hamilton Costa)
  • Longe de você
  • Luz e sombra
  • Madrigal
  • Mágoas de um cavaquinho (com Fernando Ribeiro)
  • Marcha da espera
  • Melodia do céu
  • Mengo (com Edinho)
  • Meu prelúdio
  • Minhas mãos, meu Cavaquinho
  • Minimelodia
  • Moderado
  • Mr. Downey
  • Nosso amor
  • Para dançar
  • Paulistinha
  • Pedacinho do Céu
  • Piccina mia
  • Pirilampo
  • Pois não
  • Queira-me bem
  • Quitandinha (com Salvador Miceli)
  • Riso de criança
  • Sem pretensões
  • Sentimento chinês
  • Só nostalgia
  • Só para dois
  • Sonho de criança
  • Tema nº 1
  • Tempo de criança
  • Tic-tac
  • Tio Sam
  • Turinha
  • Uma saudade
  • Vê se gostas
  • Veraneando
  • Você
  • Você, carinho e amor
  • Vôo do marimbondo
  • Waldirizando

DISCOGRAFIA
  • Carioquinha/Brasileirinho (1949) Continental 78
  • Cinco malucos/O que é que há (1950) Continental 78
  • Quitandinha/Vai por mim (1950) Continental 78
  • Delicado/Vê se gostas (1950) Continental 78
  • Pisa mansinho/Pedacinho do céu (1951) Continental 78
  • Jalousie/Camundongo (1951) Continental 78
  • Paulistinha/Cachopa no frevo (1951) Continental 78
  • Mágoas de um cavaquinho/Chiquita (1952) Continental 78
  • Vai levando/Mengo (1952) Continental 78
  • Colibri/Luz e sombra (1952) Continental 78
  • Brincando com o cavaquinho/Dezoito quilates (1953) Continental 78
  • Vôo do marimbondo/Ava Maria com prelúdio (1953) Continental 78
  • Pergunte pra mamãe/Piccina mia (1953) Continental 78
  • Tic-tac/Queira-me bem (1953) Continental 78
  • Já é demais/Amigo do rei (1954) Continental 78
  • Dobrado, embrulhado e amarrado (c/sua banda)/Você (c/seu conjunto) (1954) Continental 78
  • Pretenda/Quando eu danço com você (1954) Continental 78
  • Tio Sam/Madrigal (1954) Todamérica 78
  • Na baixa do sapateiro/Amigos do samba (1955) Continental 78
  • Meu sonho/Conversa fiada (1955) Continental 78
  • Pirilampo/Baião do neném (1955) Continental 78
  • Para dançar/Nosso amor (1956) Continental 78
  • Serra da boa esperança-Rancho fundo-Favela/Veraneando (1957) Continental 78
  • Evocação/Vai com jeito (1957) Continental 78
  • Cavaquinho maravilhoso (1957) Continental LP
  • Luar de Paquetá/Sentimento chinês (1958) Continental 78
  • Sonho de criança/Tempo de criança (1958) Continental 78
  • O apito no samba/Mr. Downey (1958) Todamérica 78
  • Um cavaquinho me disse (1958) Continental LP
  • Se você soubesse/Dançando em Brasília (1959) Continental 78
  • Um cavaquinho na society (1959) Continental LP
  • Contando tempo/Catete (1960) Continental 78
  • Souvenir do carnaval (1960) Continental LP
  • Jogadinho/Você, carinho e amor (1961) Continental 78
  • Balada de Bat Masterson/Greenfields (1961) Continental 78
  • Yellow bird/Bo bo bom (1961) Continental 78
  • Moendo café/A tuba do vovô (1961) Continental 78
  • Waldirizando (1961) Continental LP
  • Dois abraços/Pepito (1962) Continental 78
  • Rancho das flores/Saudade da serra (1962) Continental 78
  • Tico-tico no fubá/A nega se vingou (1962) Continental 78
  • Suave é a noite/Café a la italiana (1962) Continental 78
  • Dois bicudos não se beijam. Poly e Waldir Azevedo (1962) Continental LP
  • Esperanza/Na cadência do samba (1963) Continental 78
  • Telstar/O passo do elefantinho (1963) Continental 78
  • Pois não/Meu prelúdio (1963) Continental 78
  • Longe de você (1963) Continental LP
  • Delicado (1967) London/Odeon LP
  • Melodia do céu (1975) Replay/Continental LP
  • Minhas mãos, meu cavaquinho (1976) Musicolor/Continental LP
  • Waldir Azevedo (1977) Continental LP
  • Lamento de um cavaquinho (1978) Continental LP
  • Waldir Azevedo ao vivo (1979) Continental LP
  • Delicado (1995) EMI CD
  • Dois bicudos não se beijam (1995) Continental CD
  • Meus momentos (1996) EMI CD

Reserve a noite para o Chorinho: hoje tem Guiné de Riga.

No Saruê Bar, segunda feira tem lugar reservado para o Chorinho. E logo mais, a partir das 19h30, o grupo Guiné de Riga abre a roda com Vera Pape na flauta, Jorge Bonfá no violão 7 cordas, Anderson Costa no sax, Rogério "Pagé" no cavaquinho e Alexandre Cruz no pandeiro. Chame os amigos e aproveite a noite com ótimo repertório e em boas companhias.






SERVIÇO 
Roda de Choro com Grupo Guiné de Riga 
Data: 27 de janeiro (segunda)
Local: Bar Saruê - Rua Altamiro Avelino Soares, 1269 - Bairro Castelo - BH
Informações: (31) 99819-0808

24 de janeiro de 2020

Roda do Padreco faz a primeirona de 2020.


Nesta sexta (24), a turma animada da Roda do Padreco se reúne a partir das 19 horas, para dar início à temporada 2020. E vai ter muito chorinho para comemorar o reencontro dos amigos que continuam a manter a tradição das rodas no Buteco Vila Rica, no Padre Eustáquio. Então está combinado e não vale faltar. 

SERVIÇO
Roda do Padreco
Data: 24 de janeiro (sexta)
Horário: 19 horas
Local: Botequim Vila Rica (Antigo Bar do Bolão) - Rua Vila Rica, 637. Bairro Padre Eustáquio – BH


Chorinho pra ficar Odara com o grupo Contraponto

🔺ATENÇÃO. A organização deste evento informa que o mesmo foi cancelado, em decorrência das más condições metereológicas em BH.



Hoje é dia pra quem é de Chorinho e gosta de música boa. O Grupo Contraponto (formado pelos associados ao Clube do Choro de BH, Geraldo Magela no violão, Anderson Costa no sax e Frederico Lazarini no pandeiro, além da flautista Mariana Bruekers) garante que a sexta vai ser "no ponto". 
Não perca e se programe: a roda começa às 19 horas, no espaço Odara que fica localizado no bairro União.

SERVIÇO:
Chorinho pra ficar Odara apresenta: Grupo Contraponto
Data: 24 de janeiro 2020 (sexta)
Horário: 19 horas
Local: Odara - Rua Arthur Sá, 380 - Bairro União - BH
ingressos pelo site: R$5,00

23 de janeiro de 2020

Toca de Tatu faz hoje o primeiro show do ano.

O Toca de Tatu formado pelos músicos Abel Borges (percussão), Lucas Ladeia (cavaquinho), Lucas Telles (violão 7 cordas) e Luísa Mitre (piano e acordeão) faz hoje o primeiro show do ano. O grupo irá interpretar lindas composições próprias e também de outros autores que admiram, trazendo o Choro em seu repertório e também outros gêneros da MPB. 
A apresentação acontece dentro do projeto Chorinho do Café, a partir das 19 horas, no Café com Letras Liberdade (Prédio do CBBB). Programe-se.

SERVIÇO 
Chorinnho do Café apresenta: Grupo Toca de Tatu
Data: 23 de janeiro 2020 (quinta)
Horário: 19 horas
Local: Café com Letras Liberdade (Prédio do CCBB) - Praça da Liberdade, 450 - Funcionários.
Couvert: R$12,00


22 de janeiro de 2020

Conjunto Época de Ouro faz hoje segundo show da série 100 anos dos Oito Batutas e traz o saxofonista e clarinetista Lucas Brito como convidado.


Conjunto Época de Ouro - Foto: divulgação
Acontece hoje o segundo Show do projeto Do Palais a Paris - 100 anos dos Oito Batutas, que traz o Conjunto Época de Ouro a Belo Horizonte, numa série que homenageia o primeiro grupo do país que levou a música popular brasileira para o exterior. Nesta noite, quem se apresenta como convidado especial é o saxofonista e clarinetista fluminense, Lucas Brito.

Lucas Brito (foto: Babi Furtado/Divulgação)
O Conjunto Época de Ouro representa o choro genuíno dos tempos em que o rádio era o maior veículo de comunicação no Brasil e a música instrumental brasileira enchia os lares. Fundado em 1964 por Jacob do Bandolim, comemorando 50 anos de história, o Conjunto tem uma carreira sólida construída com diversos espetáculos por todo o país levando às plateias arranjos elaborados interpretados com maestria por componentes exigentes.

SERVIÇO
22/01, 20h - Época de Ouro convida Lucas Brito
29/01, 20h - Época de Ouro convida Nailor Proveta
05/02, 20h - Época de Ouro convida Fabiana Cozza
Datas: 22 e 29 janeiro e 5 de fevereiro 2020
Horário: 20 horas
Local: CCBB - Centro Cultural Banco do Brasil (Praça da Liberdade, 450 - Bairro Funcionários - BH)
Ingressos: R$30,00 (inteira) e R$15,00 (meia). Adquira já o seu: https://bit.ly/37RZw6r

A volta do Chorinho nas quartas maravilhosas do DuDan Bar.

Hoje (22) tem a volta do Chorinho das quartas no DuDan Bar. A partir das 19 horas, a noite fica maravilhosa com a roda que reúne um time de gente graúda do Choro Belorizontinho. Então, não fique de fora. Programe-se e chame os amigos.


SERVIÇO
Roda de Choro no DuDan
Data: 22 de janeiro 2020 (quarta)
Horário: 19 horas
Local: Dudan Bar - Av. Prudente de Morais, 1330 - Cidade Jardim
Informações: (31) 99189-7419

21 de janeiro de 2020

Choro de Mercearia faz hoje mais uma roda cheia de qualidades.

O Grupo Choro de Mercearia faz hoje mais uma roda cheia de qualidades: um time de primeira grandeza comandando o ritmo, um repertório escolhido a dedo e gente cheia de alto astral ocupando o Butiquim do Walter, em Santa Tereza. 
Programe-se e não perca a hora: a roda começa às 18 horas.


SERVIÇO
Roda de Choro da Mercearia
Data: 21 de janeiro 2019 (terça)
Horário: 19 horas
Local: Butiquim do Walter - Rua Mármore, 181- Bairro Santa Tereza - BH

20 de janeiro de 2020

Tia Amélia, pianista pioneira no toque do choro, tem obra reavivada em disco.

Conhecido pela técnica prodigiosa no manuseio do piano, o músico Hercules Gomes reúne 14 composições da antecessora no terceiro álbum.


Na crônica A bênção, Tia Amélia, escrita em julho de 1953, o poeta e compositor Vinicius de Moraes (1913 – 1980) conceituou a pianista e compositora pernambucana Amélia Brandão Nery (25 de maio de 1897 – 18 de outubro de 1983) como “uma ressurreição de Chiquinha Gonzaga com bossas novas”.

Na realidade, a pianista chegou a viver alguns anos no mesmo tempo de Chiquinha Gonzaga (1847 – 1935), mas, sim, pode ser considerada sucessora da maestrina no toque do piano e, sobretudo, discípula de Ernesto Nazareth (1863 – 1934) na difusão do choro.

Enfrentando as pressões da sociedade machista, Amélia driblou as proibições do pai e do marido para interromper a carreira, construindo obra que está sendo reavivada pelo pianista capixaba Hercules Gomes no álbum Tia Amélia para sempre, lançado pelo Selo Sesc neste mês de janeiro de 2020 com capa que expõe a pianista em ilustração de Alexandre Calderero.

Idealizado e produzido pelo próprio Hercules, o disco chega ao mercado fonográfico quase 100 anos após o início da trajetória profissional dessa pianista de formação erudita que já tocava de ouvido aos quatro anos de idade.

Leia AQUI a matéria completa assinada pelo jornalista Maulo Ferreira, publicada em seu Blog no Portal G1.

Chega mais, hoje tem Chorinho com o Guiné de Riga.

Para você começar a semana em ótimas companhias e com a melhor trilha sonora, o grupo Guiné de Riga marca presença na roda de Choro do Saruê. 
Logo mais, a partir das 19h30, o grupo chega com Vera Pape na flauta, Jorge Bonfá no violão 7 cordas, Anderson Costa no sax, Rogério "Pagé" no cavaquinho e Alexandre Cruz no pandeiro, convidando todos para uma roda pra lá de animada. Chega mais e chame os amigos.

SERVIÇO 
Grupo Guiné de Riga (Chorinho)
Data: 20 de janeiro (segunda)
Horário: 19h30 
Local: Bar Saruê - Rua Altamiro Avelino Soares, 1269 - Bairro Castelo - BH
Informações: (31) 99819-0808

17 de janeiro de 2020

Regional da Serra com muito Chorinho no Buteco D´Avenidinha.

O Regional da Serra se apresenta nesta sexta (17) na roda do Buteco D'Avenidinha, um local com tudo que combina com o ritmo do Chorinho: clima aconchegante, cardápio de comidas mineiras e atendimento cheio de afeto. Logo mais, partir das 19 horas, Daniel Toledo (violão sete cordas), Pablo Dias (cavaquinho), Pedro Alvarez (flauta), Fred Lazarini (pandeiro) e seus convidados esperam por você. Programe-se.

SERVIÇO
Roda de Choro com Regional da Serra
Data: 17 de janeiro (sexta)
Horário: 19 horas
Local: Buteco D'Avenidinha - Av. Alphonsus Guimarães,349 - Santa Efigênia -BH
Informações e reservas (31) 3140-0783

Confira o clima e ouça uma palinha do que acontece logo mais.

As rodas musicais no DuDan voltam com tudo, trazendo muito Chorinho, Samba e Seresta.

Nesta sexta (17), a partir das 19 horas, as rodas musicais no DuDan voltam com tudo, trazendo muito Chorinho, Samba e Seresta. 
Luciana Dietze no pandeiro, Agostinho Paolucci no violão e Thiago Balbino no bandolim chegam com um repertório cheio de clássicos e outras surpresas boas da melhor música brasileira. Imperdível.

SERVIÇO
Roda de Choro no DuDan
Data: 17 de janeiro 2020
Horário: 19 horas
Local: Dudan Bar - Av. Prudente de Morais, 1330 - Cidade Jardim
Informações: (31) 99189-7419

16 de janeiro de 2020

O Choro toma conta do Botequim Sapucaí às quinta feiras.



O Choro toma contado do Botequim Sapucaí, às quinta feiras, sempre a partir das 19 horas. E toda semana, aparecem por lá nomes queridos do Chorinho belorizontino,  para promover uma roda deliciosa e reconfortar nossos corações. 
Chame os amigos e aproveite. A partir das 17 horas já acontece o happyhour de caipis e chopes. 

SERVIÇO
Chorinho no Botequim Sapucai
Data: 16 de janeiro (quinta)
Horário: 19h00
Local - Botequim Sapucai - Rua Sapucaí 523, bairro Floresta - BH
Informações: (031)25168801

.

15 de janeiro de 2020

Conjunto Época de Ouro chega a BH com show que comemora os 100 anos dos Oito Batutas. O projeto tem 4 edições e estreia hoje.

Tem estreia nacional chegando hoje ao palco do CCBB Belo Horizonte. O projeto “Do Palais a Paris – 100 anos dos Oito Batutas” comemora os cem anos de lançamento do primeiro grupo a levar a música popular brasileira para o exterior.
A homenagem fica por conta do Conjunto Época de Ouro, que vai receber convidados ilustres para quatro apresentações hoje (15), 22 e 29 de janeiro e 05 de fevereiro.

O Conjunto Época de Ouro representa o choro genuíno dos tempos em que o rádio era o maior veículo de comunicação no Brasil e a música instrumental brasileira enchia os lares. Fundado em 1964 por Jacob do Bandolim, comemorando 50 anos de história, o Conjunto tem uma carreira sólida construída com diversos espetáculos por todo o país levando às plateias arranjos elaborados interpretados com maestria por componentes exigentes.

Inicialmente o conjunto acompanhava Jacob do Bandolim que em alguns anos já se integrou aos demais, mantendo somente a denominação atual. Jacob era muito criterioso e exigente nos ensaios, não somente no que se refere à técnica mas também quanto a disciplina e profissionalismo. Apresentando-se sempre de terno e gravata, muito polidos e elegantes, os componentes, à época da fundação tinha muito orgulho de pertencerem ao mesmo conjunto do ícone do bandolim.

Conjunto Época de Ouro. Em BH, Luiz Barcelos estará substituindo 
Ronaldo do Bandolim. Foto: Divulgação.
O instrumento símbolo do Conjunto Época de Ouro parou de tocar em 13 de agosto de 1969 quando Jacob do Bandolim deixava órfão não só o Época de Ouro mas toda uma classe de músicos, adoradores e amigos. Com seu falecimento muitos compromissos foram adiados e neste tempo o Conjunto atravessou um luto de três anos sem apresentações e aparições.

Porém, por iniciativa de Paulinho da Viola, o Conjunto retomou suas atividades em 1973, em grande estilo, no famoso espetáculo SARAU que lotou, por vários dias o Teatro da Lagoa, dando origem, inclusive ao Clube do Choro - idealizado por Paulinho da Viola e o crítico Sérgio Cabral num movimento, em todo o país em busca de dar maior amplitude a este gênero musical..

Durante as 5 décadas comemoradas este ano, o Conjunto, juntamente com Jacob do Bandolim de cuja discografia não há como desvincular, gravou mais de 40 discos, entre eles os premiados “Vibrações” e "Época de Ouro interpreta Pixinguinha e Benedito Lacerda", considerados Melhor Disco Instrumental do Ano de 1967 e 1977 respectivamente.

Em outro grande momento, já na década de 90, após ser convidado a representar a música brasileira na Feira do Livro de Frankfurt, Alemanha, o Conjunto foi convidado por Marisa Monte, Elba Ramalho, Ivan Lins e Paulinho da Viola para participar das gravações dos seus CDs. Devido ao grande sucesso e repercussão das parcerias, retribuindo os convites, o Época lançou o aclamado por público e crítica Café Brasil, com a participação dos referidos artistas, além de João Bosco, Martinho da Vila e Leila Pinheiro, que vendeu mais de 100 mil cópias, sendo 25 mil delas só no Japão onde o choro é um gênero muito apreciado e valorizado. Algum tempo depois surgiu a oportunidade de lançar o Café Brasil 2, com as participações de Beth Carvalho, Zeca Pagodinho, Ney Mato Grosso, Ivan Lins, Mosca, Arlindo Cruz e Sombrinha, Elba Ramalho, Nó em Pingo D Água e Lobão, cujo sucesso rendeu além de milhares de cópias, um convite muito especial: uma turnê por várias cidades japonesas culminando na gravação do último CD do Conjunto - porém não lançado no Brasil.

Atualmente, o Conjunto Época de Ouro tem um programa semanal, transmitido ao vivo pela Rádio Nacional Rio e pelo portal na internet [www.ebc.com.br] com a participação fiel da plateia que comparece a Sala FUNARTE no Rio de Janeiro, voltando no tempo, à época de ouro do rádio. 
Confira a programação em Belo Horizonte.

SERVIÇO
15/01, 20h - Época de Ouro convida Dudu Nobre
22/01, 20h - Época de Ouro convida Lucas Brito
29/01, 20h - Época de Ouro convida Nailor Proveta
05/02, 20h - Época de Ouro convida Fabiana Cozza
Datas: 15, 22 e 29 janeiro e 5 de fevereiro 2020
Horário: 20 horas
Local: CCBB - Centro Cultural Banco do Brasil (Praça da Liberdade, 450 - Bairro Funcionários - BH)
Ingressos: R$30,00 (inteira) e R$15,00 (meia). Adquira já o seu: https://bit.ly/37RZw6r

14 de janeiro de 2020

Choro da Mercearia com timbres e bordões em Santa Tereza.


Terça é dia de roda com o grupo Choro da Mercearia. Hoje a pauta está garantida através dos timbres e bordões de Sílvio Carlos no violão sete cordas, Marcos Rufatto no bandolim, Analu Braga no pandeiro, além das participações especiais de Thamires no clarinete e Dany Boy no cavaquinho.
A roda começa às 19 horas e acontece no Butiquim do Walter, em Santa Tereza. Programe-se e chame os amigos.

SERVIÇO
Roda de Choro da Mercearia
Data: 14 de janeiro 2019 (terça)
Horário: 19 horas
Local: Butiquim do Walter - Rua Mármore, 181- Bairro Santa Tereza - BH

13 de janeiro de 2020

Conheça o Instituto Piano Brasileiro, sua proposta de resgate e divulgação das ricas tradições pianísticas brasileiras.

O Instituto Piano Brasileiro (IPB), fundado em agosto de 2015 pelo pianista e pesquisador Alexandre Dias. Com o objetivo de atuar no resgate e divulgação das ricas tradições pianísticas brasileiras, em toda sua complexidade, busca enxergar o Piano Brasileiro de maneira completa, desde suas primeiras manifestações no início do século XIX até a música que é composta hoje, passando pelas diversas nuances do piano erudito e do piano popular. Através do portal www.institutopianobrasileiro.com.br são disponibilizadas as bases de dados, que englobam diversas facetas do piano brasileiro, incluindo uma enciclopédia, discografias, catálogos de partituras, linha do tempo, imagens, biblioteca e um blog. O IPB também existe na forma de páginas em redes sociais, um canal no youtube, um acervo físico, uma editora, e uma sede física em Brasília, inaugurada em 2018.

O Instituto realiza um trabalho intenso que consiste na digitalização de acervos e disponibilização online de fontes primárias de pesquisa, editoração e revisão de partituras brasileiras, disponibilização de gravações raras, geração de vídeos com partituras brasileiras sincronizadas com o áudio, divulgação de notícias relacionadas ao mundo do piano, entrevista com pianistas, e geração de conteúdo online, disponível em seu banco de dados para consulta pública. Além disto tem como objetivo produzir pesquisas inéditas a partir de todo este material, contribuindo para o avanço do conhecimento sobre o piano no Brasil. E esta atenção é voltada tanto para compositores como para pianistas, buscando trazer à tona suas carreiras e sua produção.

IPB - uma história para ser apreciada
O trabalho também é voltado para pesquisadores, profissionais da mídia e o público geral interessado, além de funcionar como um estímulo para aqueles que ainda não tiveram contato com o universo do piano brasileiro, e tenham curiosidade em conhecer mais a respeito.

Em 2017, o IPB recebeu o Prêmio APCA na categoria "Melhor projeto musical", destacando o trabalho do instituto em nível nacional e no último ano ganhou o Prêmio Concerto 2019, na categoria "Grande prêmio". Este é um dos prêmios mais importantes do país, escolhido espontaneamente (não há candidatura), e votado por um time de críticos com amplo conhecimento da música no Brasil.


Com a palavra o fundador do IPB, Alexandre Dias:

Conheça mais sobre o Instituto Piano Brasileiro. acessando o site e o canal no Youtube 

10 de janeiro de 2020

Hoje o Chorinho soa solto no Butiquim Vila Rica.


Sextou! E como sempre, o Chorinho soa solto no Butiquim Vila Rica. Logo mais, a partir das 19 horas, Lucas Carvalhais no violão sete cordas, Rodrigo Marçal no bandolim e Marcos Alves no pandeiro promovem mais uma roda no mais tradicional reduto do Choro de BH. A roda está aberta para quem mais chegar. Programe-se e chame os amigos

SERVIÇO
Roda de Choro Vila Rica
Data: 10 de janeiro (sexta)
Horário: 19 horas
Local: Butiquim Vila Rica - Rua Vila Rica, 637 - Bairro Padre Eustáquio - BH
Informações: (31) 3023-7740

9 de janeiro de 2020

Choro Nosso em mais uma roda pra puxar a cadeira e se deleitar com o melhor do chorinho.

Quinta-feira é dia de Choro Nosso. A roda começa às 19 horas, no O Muringueiro e conta com um time de primeiríssima. É só chegar, puxar a cadeira e sentir o gosto das notas musicais. Chame os amigos.

SERVIÇO
Roda com Choro Nosso
Data: 9 de janeiro (quinta)
Horário: 19 horas
Local: Rua Juacema , 416 - Bairro da Graça - BH
Couvert: R$12,00
Reservas: (31)99319-5525

8 de janeiro de 2020

Hoje tem Quarta Justa!


Logo mais, a partir das 19 horas, acontece a primeira Quarta Justa do ano. A roda de Choro acontece no OD Growler Station, no bairro Padre Eustáquio reunindo Mari Carvalho no pandeiro, Lucas Carvalhais no violão, Pedro Henrique Pousas no cavaquinho e André Siqueira na flauta.
Programe-se e chame os amigos.

SERVIÇO
Roda de Choro com grupo Quarta Justa.
Data: 08 de janeiro (quarta)
Horário: 19 horas
Local: Od Growler Station - R. Progresso, 472 - Padre Eustáquio
Informações: (31) 25166224


7 de janeiro de 2020

A temporada 2020 do Choro Amoroso - Roda da madrugada está aberta e tem sua primeira edição nesta quarta.



A temporada 2020 do Choro Amoroso - Roda da madrugada está oficialmente aberta. Se você está em Belo Horizonte, de férias ou a passeio, não pode perder a Roda da Madr ugada com o grupo ChoroAmoroso que acontece todas as quartas-Feiras n'A Casa de Cultura, no bairro Santa Efigênia.

Formado por Túlio Araújo no pandeiro, Augusto Cordeiro no violão, Pedro Gomes no ukulele baixo, Pablo Dias no cavaco, Bruno Teixeira na flauta e Pablo Malta no bandolim, o sexteto traz uma nova perspectiva sob o Choro, adicionando elementos contemporâneos do Jazz e do Instrumental Brasileiro. Composições próprias dos integrantes do grupo e releituras de mestres como Dominguinhos, Edu Neves, Hermeto Pascoal, Moacir Santos, Edu Lobo e Milton Nascimento se alinham á tradição de Pixinguinha, Jacob do Bandolim e Waldir Azevedo, entre muitos outros.


As portas se abrem às 22 horas e o show começa à meia-noite, extendendo-se até a madrugada, sempre com um público cativo, atento e alegre. Não perca!

SERVIÇO
Roda da Madrugada com Choro Amoroso
Data: 8 de janeiro (quarta)
Horário: 22h (Portas) | 0h (Show)
Local: A Casa de Cultura - Rua Padre Marinho, 30 - Santa Efigênia, BH
Couvert: R$ 10,00 (até 0h) | R$ 15,00 (após 0h)
Informações: (31) 99898-2459

2 de janeiro de 2020

Nada melhor que uma boa roda de Choro para abrir 2020.


Nada melhor que uma boa roda de Choro para abrir 2020. E por isto, a programação musical do "O Muringueiro" começa hoje às 19 horas, com o grupo Choro Nosso e as mais vibrantes notas musicais. Não perca.

SERVIÇO
Roda Choro Nosso abrindo 2020
Data: 02 de janeiro 2020(quinta)
Horário: 19 horas
Local: Rua Juacema , 416 - Bairro da Graça - BH
Couvert: R$12,00
Reservas: (31)99319-5525