28 de junho de 2015

CELEBRANDO O CENTENÁRIO DE GAROTO.

Hoje, celebramos o centenário de nascimento do violonista Aníbal Augusto Sardinha, o Garoto. Tanto pela sua admirável obra de compositor como de seu talento de executante, influenciou a quase totalidade dos violonistas que chegaram depois. 
A história de Garoto — não só o que dominava o violão, o banjo, o bandolim, o cavaquinho, o violão tenor, mas o músico completo — começou cedo e ainda muito jovem já fazia sucesso como o "Garoto do Banjo". Hoje ele é consagrado pela sua genialidade e sua obra memorável. E nesta data, nossos aplausos são todos para você, Garoto.


AS CORDAS MÁGICAS DE GAROTO


Por: Raphael Vidigal*


“Brilhantes deuses etéreos
Tocam-vos levemente,
Qual os dedos do artista
nas cordas santas
Sem destino, como a criança”  Hölderlin

Anibal Augusto Sardinha o Garoto e o Dia do Choro Paulista As Cordas Mágicas De Garoto
Prodígio já nasceu chorando. Não queria aquele nome. A mãe o chamou Aníbal. Os amigos o batizaram Moleque do Banjo. Seria sempre Garoto, aonde quer que fosse, arrastava suas cordas mágicas. Diziam serem encantadas, aquelas mãos. Saiu de São Paulo foi para o Rio de Janeiro. Depois, Estados Unidos. Voltou à cidade que o acolheu, descansou o coração, nos preparativos de mais uma viagem. Levou consigo as cordas. Deixou delas, uma pequena amostra, suficiente para alentar lembranças e saudades recolhidas.


Amoroso (choro, 1942) – Garoto
O pai de Garoto tocava guitarra portuguesa e violão. Do irmão Batista, também músico, o menino que já ensaiava num instrumento improvisado de pau e corda, ganhou o primeiro banjo. Desde cedo, integrou o “Regional dos Irmãos Armani”, com 11 anos, depois “Conjunto dos Sócios”, “Chorões Sertanejos”, “Conjunto Regional”, em substituição a Zé Carioca, “Rádio Educadora Paulista”, entre outros. Convites nunca lhe faltaram. Ao se apresentar com o violonista D. Montezano, conhecido como Serelepe, ao diretor artístico da Parlophon, foi imediatamente convidado a gravar um disco, contendo os maxixes “Bichinho de Queijo” e “Driblando”, de sua autoria, envergando o singular banjo. Mais tarde, iria unir suas cordas às de Zezinho, conhecido Aimoré, em infindáveis serenatas no bairro da Luz, e depois num conjunto de choro. E mais tarde ainda, iria compor “Amoroso”, em 1942, com a completude que lhe era específica.



Desvairada (choro, 1949) – Garoto
Perambulando com suas cordas vibrantes, Garoto conheceu Petit, com quem formou ao lado de Aimoré, trio que se apresentava no salão nobre de um edifício em São Paulo, o Martinelli. Depois viajou com o último para o Paraná, a bordo da “Quarta Caravana Artística”, Porto Alegre, no “Cassino Farroupilha” e Buenos Aires, na Argentina, acompanhando Carlos Gardel em algumas músicas. No retorno a São Paulo, tomou posse de um violão-tenor para se apresentar com o seresteiro Silvio Caldas e o velho companheiro de viagem. Ainda na década de 30, gravou choros e valsas pela Columbia, demonstrando sua habilidade também na guitarra havaiana. Estreou na Rádio Mayrink Veiga, no Rio de Janeiro, e se encontrou com Carmen Miranda, Alvarenga e Ranchinho, Ary Barroso, Jararaca e Zé Formiga, Dorival Caymmi e Laurindo de Almeida, dando iniciativa, com este, à “Dupla do Ritmo Sincopado” e grupo “Cordas Quentes”. Isso após participar do “Conjunto Regional” da Rádio Cruzeiro do Sul em sua terra natal, desfazer a dupla com Aimoré e se casar, fixando-se na capital fluminense. Ao menos por algum tempo. Sua rotina “Desvairada” bem correspondia ao ritmo do choro de 1949.



Vamos acabar com o baile! (choro, 1952) – com José Brandão
Incrivelmente, apesar do talento destacado, Garoto chegou a ficar algum tempo desempregado, com o fechamento da Rádio Cosmos. No entanto, a maior oportunidade da sua vida ainda estava por vir, quando recebeu uma carta: “Querido Garoto, espero que você tenha gostado da idéia de vir para cá, e aceite-a, pois esta terra é a melhor do mundo, só você estando aqui é que acreditará. Estamos ansiosos para que você venha; eu e os rapazes.” A remetente era Carmen Miranda, que o chamava para substituir Ivo Astolfi no “Bando da Lua”. Resultado: rumou para os Estados Unidos, onde permaneceu por oitos meses na companhia da Pequena Notável, fazendo parte do conjunto e chamando a atenção naturalmente, pelo brilho de suas cordas. Teve a honradez de conhecer diversas cidades, fazendo o que melhor sabia e gostava, atuar em filmes, e tocar até para o presidente norte-americano, Franklin Roosevelt, na Casa Branca, tudo isso nos idos de 1939 e 1940. Tornou-se o “homem dos dedos de ouro”, nas palavras do organista Jesse Crawford. Já de volta ao Rio de Janeiro, compôs “Vamos acabar com o baile!”, com José Brandão, em 1952. Baile foi o que realizou em sua passagem em terras estrangeiras, mantendo boquiabertos até os mais exigentes.


São Paulo Quatrocentão (dobrado, 1953) – Garoto, Chiquinho do Acordeom e Avaré
Finalmente fixado no Rio de Janeiro, criou o conjunto “Garoto e seus Garotos”, com Valdemar Reis, Poli e Almeida no violão, mais Russo do Pandeiro. Ao fim deste projeto, se encaminhou para a Rádio Nacional, se deparando por lá com a pianista Carolina Cardoso de Meneses, com quem gravou discos em dupla. Formaria também dupla com José Meneses, alternando guitarra, violão, violão-tenor e cavaquinho, durante os programas radiofônicos “Nada além de dois minutos”, “Ao som da viola” e “Um milhão de melodias”. Ainda por cima trabalhava na Orquestra da Rádio Nacional, regida por Radmés Gnatalli, de quem foi colega e legou eterna amizade. Mas seria em trio que conseguiria o maior sucesso da carreira, quando, em 1953, compôs o dobrado “São Paulo Quatrocentão”, para os festejos do aniversário da cidade natal, em companhia de Chiquinho do Acordeom e letra de Avaré. A composição virou verdadeira febre, com recordes de vendagem de disco (algo em torno de 700 cópias) e interpretação da inclusive cantora na época, Hebe Camargo, reconhecida posteriormente como apresentadora de TV.


Duas contas (samba-canção, 1953) – Garoto
Garoto estreou como letrista ao compor o samba-canção “Duas contas”, em 1953, antecipando a bossa nova. No mesmo ano, embeveceu os presentes com a interpretação solo do Concerto nº 2 para Violão e Orquestra, dedicado a ele por Radamés Gnatalli, em pleno Teatro Municipal do Rio. Mas a história que o levara a se atrever no mundo da escrita começara um ano antes, quando, a convite do diretor musical do programa da Rádio Nacional, “Música em Surdina”, Paulo Tapajós, topou se alinhar a Fafá Lemos e Chiquinho do Acordeom naquele que ficaria conhecido como o “Trio Surdina”. Seguiram-se dois discos, e no primeiro deles vinha a música que comprovara seu atrevimento, sem rimas, levando o próprio autor dos versos à insegurança. Paulo Tapajós, que o incentivara, estava certo, a música correspondia a seu talento já comprovado como instrumentista, também na letra. E bastava: “teus olhos são duas contas pequeninas, qual duas pedras preciosas, que brilham mais que o luar”.



Gente humilde (1970) – Garoto, Vinicius de Moraes e Chico Buarque
A gravação de “Gente humilde” aconteceu informalmente, quase por acaso, como presente a um amigo querido de Garoto, o professor mineiro Valter Souto. Num acetato simples, eternizou-se o momento de inspiração que recaiu divino, com a espontaneidade que acalora os corações de artistas. A cena observada passaria incólume, não tivessem aquelas mãos o poder de restringir às cordas a leveza de um sentimento inalcançado. Afinal o poeta vê a árvore e se encanta por ela, e nos encanta com sua poesia. A mesma árvore que vemos todos os dias. Com auxílio de Vinicius e Moraes e Chico Buarque, a canção abraçou em 1970 versos que Garoto não disse, mas zumbiu.


“Comecei a tocar sozinho, e com o falecido Pinheirinho Barreto e Aluísio Silva formamos um novo grupo. Foi quando gravamos ‘Zombando da Morte’, um samba que se tornou muito popular.” Garoto


Garoto anibal As Cordas Mágicas De Garoto
Texto lido na rádio Itatiaia por Acir Antão em 10/07/2011.

_________________________________________________________________________________
* Raphael Vidigal  é escritor e editor do Blog Esquina Musical. Trabalhou como repórter de Cultura do jornal 'Hoje em Dia' e produtor e redator do programa ‘A Hora do Coroa’, transmitido aos domingos na Rádio Itatiaia. 
contato:raphaelvidigal@hotmail.com

24 de junho de 2015

Grupo Carona Brasil em tournée de lançamento do seu novo CD "De lá pra cá-daqui prali".

Carona Brasil - Foto: Rafael Motta

O grupo vocal Carona Brasil, formado pelas cantoras mineiras Cássia Mattiello, Rosana Tunes, Carol Viana, Margareth Lucena e Sofia Cupertino, canta os compositores mineiros de todos os tempos na turnê de lançamento do seu terceiro álbum “De lá pra cá – Daqui prali”. Há treze anos mantendo-se nos trilhos da pesquisa sobre a música popular brasileira, o grupo contempla neste projeto um repertório diversificado que vem de Ary Barroso e Joubert de Carvalho, passando pelo Clube da Esquina e João Bosco, chegando a Vander Lee e Samuel Rosa. O espetáculo é dinâmico, sensível e leva o público, do juvenil ao adulto, a momentos de alegria e emoção.

A tournée de lançamento começa por Juiz de Fora, no próximo dia 26, continua em Brasília em 4 de julho e chega a BH na quarta, 08 de julho.

O Show tem direção artística de Ernani Maletta, direção musical de Gilvan de Oliveira e direção vocal de Babaya. No palco o grupo será acompanhado pelos músicos: Gilvan de Oliveira, Serginho Silva, Ivan Correa, Cléber Alves e Célio Balona.





23 de junho de 2015

Atenção associados do Clube do Choro de BH: no próximo domingo tem confraternização com programação muito especial. Não percam.



No próximo domingo, 28 de junho, os associados do Clube do Choro de Belo Horizonte se encontrarão para mais uma confraternização. A reunião ocorrerá das 12 às 17 horas, no restaurante Feijoaria (sede do Clube), com o tradicional almoço e animada roda de Choro. 

Domingo celebraremos também o centenário de nascimento de Aníbal Augusto Sardinha, o Garoto. Multinstrumentista, ele nos legou uma obra com mais de cem composições, entre elas Choros memoráveis como Amoroso, Meu cavaquinho, Jorge do Fusca e Desvairada.
Nas apresentações dos associados, Garoto será homenageado e relembrado através da execução de várias de suas composições. 

Outro momento especial reservado para o próximo encontro será o lançamento do DVD "Brasil chora Waldir" com registro do show ao vivo gravado no Cine Theatro Brasil Vallourec, em 23 de abril de 2014. São 77 minutos e 17 músicas apresentadas no grande show comemorativo ao Dia Nacional do Choro e que será distribuído aos associados do Clube do Choro de BH. 
De Delicado, de Waldir Azevedo; Quando Chora um Cavaquinho, de Waldir Silva, a Carinhoso, de Pixinguinha/João de Barro, o DVD é um documento histórico, que marcou uma noite muito especial dedicada aos dois grandes e saudosos cavaquinistas e compositores brasileiros, homenageados por músicos, iinstrumentistas, solistas, intérpretes e admiradores do choro de Belo Horizonte.
O DVD é uma realização do Clube do Choro de BH com apoio e patrocínio da Rede Minas, BDMG Cultural, BDMG, Governo de Minas Gerais,Cine Theatro Brasil Valllourec e do jornal Estado de Minas. Na ocasião, os apoiadores estarão presentes compartilhando de mais este momento especial para o Clube e seus associados.


RESERVAS
Para a confraternização, os sócios terão a sua despesa e a de um acompanhante pagas pelo Clube, sendo que de outros convidados será cobrada a quantia de R$ 80,00 (oitenta reais) por pessoa, o que inclui além dos deliciosos tira-gostos, saladas, almoço, sobremesas, cerveja e refrigerantes. 
Para participar, os associados devem fazer reservas pelo telefone (31) 3497-7288.

21 de junho de 2015

Encerra amanhã o prazo de inscrições para edital de seleção da Série BH Instrumental.

Encerra-se amanhã, segunda, às 18 horas, o prazo para inscrições na segunda edição do edital de seleção da Série BH Instrumental realizada pela Veredas Produções, em parceria com Instituto Unimed-BH. 
O Edital promove a participação de grupos instrumentais de Belo Horizonte e região metropolitana como atrações de abertura dos shows do projeto no 2° Semestre de 2015, na Praça Floriano Peixoto e de grupos de chorinho na Praça da Saúde. Esta ação é mais uma oportunidade para que artistas do cenário instrumental possam apresentar e divulgar os seus trabalhos, com o objetivo de valorizar, destacar e promover o gênero na capital.
Toca de Tatu : um dos selecionados na edição anterior.

Na edição anteiror, se apresentaram vários grupos de Choros. Entre eles: Toca de Tatu, Flor de Abacate e Choro Nosso, cotando com a participação de associados do Clube do Choro de BH. 
O prazo para as inscrições na segunda edição do edital iniciou em 21 de maio e termina amanhã, 22 de junho de 2015, às 18 horas. Pode-se efetuar as inscrições por meio do e-mail editalmusical@veredasproducoes.com.br através da ficha de inscrição disponibilizada junto ao edital.

Choro no rádio: programa "Domingo no Clube" está em novo horário.

Domingo no Clube é um programa para os amantes do Choro, com produção e apresentado de Sérgio Tadeu. Semanalmente, vai ao ar pela Rádio Araripe 630 AM/SE, com transmissão simultânea na Aperipê 104.9 FM/SE e no www.aperipe.com.br 
Para ouvi-lo sintonize aos domingo das 10h00 às 12 h00 ou conecte: Transmissão Online

18 de junho de 2015

"PEDACINHOS DO CÉU" COMEMORA MAIORIDADE MUSICAL.

Um dos redutos mais tradicionais do Choro em BH está completando 18 anos e festeja com uma agenda cultural incluindo diversos shows, rodas de choro e lançamento de livro. Estamos falando do "Pedacinhos do Céu" que, sob a palheta do cavaquinista Ausier Vinicius, está comemorando a maioridade musical.

Tudo começou com o amor à música popular brasileira, com ênfase no Choro e  prosseguiu com o desenvolvimento de um projeto que permitisse expressar tal sentimento. Inicialmente, o estudo e a execução das obras dos compositores brasileiros, firmando-se em Waldir Azevedo e finalmente com a abertura do "Espaço Bar Musical Pedacinhos do Céu" onde se buscaria a união dos Chorões, reunindo-se, sistematicamente, músicos - profissionais e amadores, e o público, com tudo em volta do Choro. A escolha da denominação do projeto Pedacinhos do Céu, recaiu sobre o nome de uma das mais belas músicas do Mestre Waldir Azevedo, com composição dedicada às suas filhas e preferida pelo autor.
Passados tantos anos, o espaço permanece como referência do gênero. Semanalmente, de quinta a sábado, a partir das 21h00, os mais expressivos nomes do choro belorizontino se reúnem ali em rodas promovidas pelo anfitrião acompanhado pelo conjunto Pedacinhos do Céu.

PROGRAMAÇÃO
A programação comemorativa está sendo atualizada periodicamente e pode ser acompanhada pelo site do Pedacinhos do Céu.

Nesta quinta (18/06): Lançamento do livro "Marcos Noronha, do Chão aos sonhos", do jornalista Bernardo Fróes Bicalho, ao som de muito chorinho a partir das 21h00.

Sexta e sábado (19 e 20/06): Chorinho instrumental com Ausier e Grupo Pedacinhos do Céu, a partir das 21h00.

Domingo (21/06): Projeto Cariúnas juntamente com a pianista Tânia Mara Lopes Cançado, a partir das 18h00. O Projeto Cariúnas é um programa sócio-cultural criado em 1997 pela Sociedade Artística Mirim de Belo Horizonte/MG (SAMBH).Surgiu inicialmente como projeto de extensão da Escola de Música da UFMG, apoiado pela Fundação CDL. com o objetivo de proporcionar a crianças e adolescentes de famílias de baixa renda um desenvolvimento global por meio do ensino da música.

 Alunos do Projeto Cariúnas com Tânia Mara L. Cançado e Ausier Vinicius comandam a atração do próximo domingo.

17 de junho de 2015

Canta Brasil Choro & Cia: boa música com Sesc Chorinho e Samba na Praça, em Três Marias.


O Sesc Chorinho e Samba na Praça volta à região Central do Estado, desta vez em Três Marias. A iniciativa chega ao município com duas grandes atrações: os grupos Canta Brasil Choro & Companhia e Oi de Gato. A apresentação, gratuita, acontece no próximo sábado,  a partir das 20h30, na Praça João XXIII, no Centro. 

Canta Brasil Choro & Cia se apresenta tendo Ligia Jacques como convidada
O show é uma oportunidade de relembrar grandes sucessos na voz de novos intérpretes. O grupo Canta Brasil Choro & Companhia reúne os músicos: Gustavo Monteiro (violão), Carlos Boëchat (pandeiro), José Carlos Choairy e Vinicius Juliano (cavaquinhos) , Leonardo Macedo (flauta) e a participação da cantora Lígia Jacques. No repertório, destacam-se ritmos nacionais de diversos períodos. Dentro dessa variedade rítmica e da riqueza do cancioneiro brasileiro, a banda faz uma seleção musical rica.

Outra atração da noite, o Oi de Gato se destaca no cenário musical pela sua sonoridade e tem conquistado respeito e admiração de todo tipo de público. Influenciado pelas diferentes vertentes do samba, apresenta um show alegre e dançante, relembrando mestres, como Adoniram Barbosa, Ary Barroso, Chico Buarque, Clara Nunes e Ivone Lara.
Este evento é uma realização do Sesc e conta com o apoio da Prefeitura Municipal de Três Marias.

SERVIÇO
Sesc Chorinho e Samba na Praça, em Três Marias
Data: 20/6
Atrações: Canta Brasil Choro & Cia. e Oi de Gato
Horário: 20h30
Local: Praça João XXIII, s/n°, Centro
Entrada gratuita
Informações para o público: (31) 3270-8100

16 de junho de 2015

Grupo Choro Nosso e Ricardo Acácio promovem roda de Choro na próxima quinta.


O grupo Choro Nosso formado pelos músicos Renato Muringa (cavaquinho, bandolim e voz), Marcela Nunes (flauta transversal) e Agostinho Paolucci (violão), toca nesta quinta, 18 de junho, com a participação do pandeirista Ricardo Acácio. A roda de choro, com clássicos do gênero e obras de compositores mineiros, acontece no espaço "O Muringueiro", a partir das 19 horas.
Programe-se.

SERVIÇO
Roda de Choro com Choro Nosso
Data: 18 de junho
Horário:19 horas
Local: O Muringueiro - Rua Juacema, 416 - Bairro da Graça - Belo Horizonte
Entrada: R$10,00
Informações: (31) 3267-0819 ou (31)8468-7400


10 de junho de 2015

Projeto Quarta Cultural apresenta o grupo Choramingando.

O projeto Quarta Cultural do Conservatório UFMG recebe na quarta-feira, dia 17 de junho às 12h30, o grupo Choramingando composto pelos músicos Zé Carlos (cavaquinho), Fafá (violão sete cordas), César (bandolim e cavaquinho), Léo Macedo (flauta) e Mariângela (pandeiro).

Com a filosofia “onde o Choro reflete a Música e a Música, reflete a Vida”, o grupo Choramingando promete contemplar grandes clássicos do gênero, reunindo músicos da nova e da velha guarda com o propósito de superar o mito do conflito de gerações. O objetivo é promover a integração da “jovem geração de instrumentistas” com as “sábias e velhas raposas”, que constituem “a velha guarda do choro”.
José Carlos Choairy
O grupo é liderado por um nome nacional e carinhosamente reconhecido no cenário do choro como “Zé Chorão”. José Carlos Choairy desfruta do afeto e da amizade de inúmeros “chorões” espalhados não somente pelas cidades do interior de Minas, mas também em outros estados e capitais, como Brasília (DF); Rio de Janeiro (RJ); São Paulo (SP); Vitória (ES); Salvador (BA); São Luís (MA), entre outras. Músico e ser humano extremamente sensível e de exuberante musicalidade, faz de seu cavaquinho não apenas um instrumento para “tocar música”, mas como principal instrumento de que se serve, como raros o sabem fazer, para “tocar o coração das pessoas”. Para perpetuar a tradição do Choro que tanto ama, resolveu criar o grupo. Generoso e acessível, Zé Chorão transformou seu lar num centro de encontros e saraus musicais para onde acorrem todos os que desejam praticar a amizade, o carinho, a solidariedade, e o profundo respeito e amor pelo Choro e pela Música. 
Neste espetáculo, o grupo apresentará o seguinte repertório:
Flor Amorosa (A. Callado); Numa Seresta (Luiz Americano); Chorinho do Pai (Fafá & César); Vou Vivendo (Pixinguinha & B. Lacerda); Benzinho (Jacob do Bandolim); Murmurando (Fon-Fon & Mário Rossi); Sentido (Waldir Azevedo); Flor de Abacate (A. Sandim); Vibrações (Jacob do Bandolim);  Beliscando (Paulinho da Viola); Sonoroso (K-Ximbimbo); Luz e Sombra (Waldir Azevedo); Carioquinha (Waldir Azevedo); Na Glória (Raul de Barros); Na Cadência do Samba (Luiz Bandeira).

SERVIÇO
 Projeto Quarta Cultural apresenta: CHORAMINGANDO 
Data: 17 de junho de 2015 – Quarta-feira 
Horário: 12h30 
Local: Conservatório UFMG – Av. Afonso Pena, 1534 – Centro BH/MG 
Entrada franca. 
Info: 3409-8300 



3 de junho de 2015

Véspera de feriado com muito Chorinho pela cidade.

CONFIRA ABAIXO  DICAS PARA VOCÊ APROVEITAR ESTA QUARTA, VÉSPERA DE FERIADO, CURTINDO O MELHOR DO CHORINHO.





Programa para o próximo sábado: Roda de Choro com Marcela Nunes e convidados.


No próximo sábado, 6 de junho, a partir da 17 horas, tem Roda de Choro com Marcela Nunes e convidados.
O programa acontece no "O Muringueiro", um espaço dedicado à música e gastronomia, localizado no bairro da Graça. O bar funciona de quarta a sábado com diversas apresentações musicais e um cardápio com predominância da comida mineira. Programe-se.

SERVIÇO
Roda de Choro com Marcela Nunes e convidados
Data: 06 de junho
Horário: 17 horas
Local: O Muringueiro - Rua Juacema, 416 - Bairro da Graça - Belo Horizonte
Entrada: R$10,00
Informações: (31) 3267-0819 ou (31)8468-7400