4 de setembro de 2013

"UM VIBRAFONE NO CHORO": RODRIGO PICOLÉ SE APRESENTA NO CONSERVATÓRIO UFMG.

Rodrigo Picolé - Foto: Mila Milowski

O choro, ainda que um tradicional estilo de música popular brasileira, se mostra um gênero em constante transformação. As influências da música estrangeira no estilo é tão antiga quanto a própria existência do mesmo. O vibrafone, mesmo não podendo ser caracterizado como um instrumento típico no universo da música popular brasileira, se fez presente em algumas gravações de choro na segunda metade do século XX. Como os mais antigos exemplos podemos citar faixas do álbum "Época de Ouro – Jacob e seu bandolim" (1959), do "Dick Farney e seu quinteto" (1955), e do "Em ritmo de dança", do pianista Pernambuco, lançado em 1957. Mesmo com o pontapé inicial, raros foram os músicos que desde então se dedicaram à performance do choro no instrumento.

O espetáculo "Um vibrafone no choro" que acontecerá na segunda, 9 de setembro, às 20hs procura abordar a performance do choro e seus subgêneros no vibrafone, sem desrespeitar as inflexões características dos estilos. Através da releitura dos clássicos e também de composições contemporâneas, pretende-se projetar o vibrafone como um instrumento associável ao ambiente do choro e da música brasileira em geral.
Nessa apresentação, Rodrigo "Picolé"(vibrafone) será acompanhado por André Milagres (violão 7 cordas), Lucas Ladeia (cavaquinho), Fernando Feijão (bateria e pandeiro), Harrison Santos (saxofone tenor), Expedito Andrade (Guitarra), Rodrigo "Boi" Magalhães (Baixo elétrico) e Evaristo Bergamini (Baixo Acústico)

Rodrigo Heringer Costa - (Rodrigo "Picolé)
Graduado em Ciências Sociais pela Universidade Federal de Minas Gerais(UFMG) e aluno do curso de Música Popular na mesma instituição, atualmente estuda vibrafone na New School for Jazz and Contemporary Music (Nova Iorque/EUA) sob a instrução de Mike Mainieri e Stefon Harris. Estudou com Cliff Korman, Márcio Bahia, Andre "Limão" Queiroz, Fernando Rocha, Jimmy Duchowny e Daniel Lemos. Foi vencedor do concurso Jovem Instrumentista – BDMG, em 2012, e ficou em segundo lugar no concurso Música Nova – Chorinho, com o grupo Assanhado. Foi vencedor da seletiva para se apresentar no Savassi Festival – Jazz & Lounge 2012 com os grupos Assanhado e Sem Receita. Se apresentou nos mais importantes festivais dedicados à música instrumental e à canção em Minas Gerais e também fora do estado, a exemplo do Savassi Festival – Jazz & Lounge, Natura Musical, Festa da Música, Noite Branca no Parque, Conexão Vivo, Choro Livre, Pizindin - Choro no Palco, Foi integrante da Gerais Big Band (UFMG), Orquestra Sinfönica Jovem do Palácio das Artes, Banda Sinfônica da UFMG, Orquestra de Sopros e Percussão da Fundação de Educação Artística (FEA) e do grupo de danças folclóricas Sarandeiros (UFMG), no qual atuou como músico. Atualmente é integrante do Grupo de Choro Palácio das Artes, do grupo Assanhado, do grupo Sem Receita, e do espetáculo cênico-musical Catibiribão. Se apresentou ao lado de grandes músicos brasileiros, tais como Nelson Faria, Cliff Korman, Chico Lobo e Carlinhos Ferreira.

O Projeto Pizndin - Choro no Palco é uma realização do Conservatório UFMG e acontece desde 2012, com apresentações musicais dedicadas a um compositor ou tema. Os espetáculos se realizam às segundas-feiras, sempre às 20hs, com exceção da última segunda-feira de cada mês. 

SERVIÇO:
“Projeto Pizindin – Choro no Palco” apresenta: Rodrigo Picolé no espetáculo "Um vibrafone no Choro.
Data: 09 de setembro de 2013
Horário: 20hs
Local: Conservatório UFMG – Av. Afonso Pena, 1534 – Centro BH/MG
Entrada: R$15,00 (inteira) R$7,00 (meia-entrada)
Ingressos vendidos no dia do show a partir das 19hs
Info: 3409-8300