16 de maio de 2019

Prefeitura lança edital CenaPlural 2019 para programação dos teatros municipais no segundo semestre.

O prazo para as inscrições no Edital CenaPlural, lançado pela Prefeitura de Belo Horizonte por meio da Fundação Municipal de Cultura, iniciou na segunda feira (13) e permanece aberto até o dia 30 deste mês. O concurso selecionará espetáculos de música, teatro, dança, contação de histórias e circo destinados ao público infantil e adulto, que irão compor, prioritariamente, as programações artístico-culturais dos teatros municipais durante o segundo semestre do ano de 2019.

As inscrições são gratuitas e as propostas deverão ser inscritas na plataforma online Mapa Cultural BH e os documentos de habilitação entregues na sede da Fundação ainda dentro deste prazo, conforme consta nas instruções do concurso. O edital faz parte do Programa de Requalificação dos Teatros Municipais e está disponível para consulta no portal da Prefeitura. 

O Cena Plural tem como objetivo fortalecer e potencializar a produção artística nos espaços públicos, promover uma programação cultural diversa e qualificada para a população belo-horizontina, além de premiar e difundir o trabalho de artistas, coletivos e grupos locais com comprovado histórico de realizações na área. Podem se inscrever proponentes nas modalidades: Pessoa Física Individual, Coletivo de Artistas de Pessoas Físicas, Microempreendedor Individual e Pessoa Jurídica.

Novidades
Uma das principais mudanças do CenaPlural deste ano é a forma de remuneração das propostas selecionadas. O valor de remuneração seguirá uma lógica de quantidade de artistas em cena, comum a todas as categorias. 

Propostas com apenas um artista em cena terão o valor de R$ 2 mil por apresentação. Já com dois ou três artistas em cena a remuneração será de R$ 3,5 mil, enquanto com quatro ou mais artistas em cena será de R$ 5 mil. A divisão de teto por categoria definiu os valores de R$ 100 mil para dança, R$ 50 mil para circo; R$ 150 mil para teatro; R$ 50 mil para contação de histórias; e R$ 150 mil para música.

As propostas serão avaliadas de acordo com os critérios de relevância artística, clareza, qualidade técnica, adequação aos espaços, exequibilidade e capacidade da equipe profissional. Um novo destaque é a inclusão do critério protagonismo na análise das propostas. Serão pontuados com até cinco pontos projetos que proponham o protagonismo feminino, a igualdade de gêneros e/ou a promoção e a valorização do conteúdo artístico e/ou cultural das culturas negra, indígena, cigana e LGBT.