15 de abril de 2017

Trombone de Vara, o grande destaque da Semana Nacional do Choro.



O Trombone de Vara é o personagem de destaque da Semana Nacional do Choro 2017 que acontece em Belo Horizonte de 17 a 23 de abril.  Durante a programação do Minas ao Luar - Especial Semana Nacional do Choro,  uma parceria entre o SESC MG e o CLUBE DO CHORO DO BH, a plateia poderá assistir aos grandes nomes do trombone mineiro e ainda ao decano Zé da Velha, uma referência nacional quando se trata deste instrumento.

A programação inclui dois shows diários, em diferentes espaços dedicados ao Chorinho na capital, e contará com a participação dos trombonistas mineiros Hélio Pereira, Marcelo Ribeiro (Marcelão), Marcos Flávio Aguiar, Alércio Martins e Leonardo Brasilino, que se revesarão nas apresentações diárias e se reunirão com o Zé da Velha no grande show de encerramento que acontece no dia 23 de abril, Dia Nacional do Choro. Fique de olho e acompanhe toda a programação que está imperdível.

CONHEÇA NOSSOS TROMBONISTAS

Marcelo Pereira - Foto: Action BHZ
17 de abril / Segunda- feira
MARCELO PEREIRA - Fundador da tradicional bandinha do João Careca e integrante do Clube do Choro de Betim desde a sua fundação e do Clube de Choro de Belo Horizonte desde 2013, onde apresenta-se regularmente nos shows e rodas de choro.   Durante 5 anos, apresentou-se nos tradicionais encontros de chorões do Bar do Bolão, no bairro Padre Eustáquio (atual Butiquim Vila Rica). 
Marcelão, como é carinhosamente chamado pelos amigos, foi presidente e músico da Banda Nossa senhora do Carmo de Betim, ex-integrante da Banda de baile Pendullum .Atualmente, é integrante do Grupo de "Samba Número Baixo" e apresenta-se, às quintas-feiras nas rodas de Choro do bar do Salomão.

18 de abril / Terça-feira
Marcos Flávio. Foto: divulgação.
MARCOS FLÁVIO AGUIAR ou Marcão, como também é conhecido, é natural de Mateus Leme  começou a tocar na banda de Música de sua cidade aos 9 anos de idade. Hoje atua como professor da Escola de Música da Universidade Federal de Minas Gerais. Doutorando em Música/Performance pela UFMG é Mestre e Bacharel pela mesma instituição. É considerado hoje uma referência na performance do Trombone no Brasil, tanto no meio erudito quanto popular. 
É professor convidado dos maiores festivais de música do Brasil onde geralmente leciona trombone ou aspectos interpretativos da prática do choro. Com seu grupo Choro de Minas foi o primeiro grupo de Choro de Minas Gerais a ser convidado a se apresentar no prestigiado Clube do Choro de Brasília, com grande sucesso de público e critica segundo o Correio Brasiliense. Já dividiu o palco com músicos como Maria Schineider (EUA), Frank Sinatra Jr. (EUA), Bil Allread (EUA), Jeff Rupert (EUA), Jacques Mauger (FRA), Rosa Passos, Gal Costa, Ivan Lins, Chico Amaral, Zé da Velha, Joel Nascimento, Henrique Cazes, Silvério Pontes, Carlos Malta, Juarez Moreira, Nivaldo Ornelas, dentre outros. Foi músico convidado de várias gravações em CDs e Dvds de vários artistas. Além do CD Coletânea lançando em 2015, ele tem também o CD solo, "Chorobone" (2005), e Trombones Geraes (2007). Marcos Flávio é associado ao Clube do Choro de Belo Horizonte.

19 de abril / Quarta-feira
Wesley Procópio - Foto: divulgação
WESLEY PROCÓPIO - Natural de Mariana - MG, Wesley Procópio iniciou seus estudos de música na adolescência com Francisco de Assis Moreira, em uma alfaiataria que o professor possuía no centro da cidade. Posteriormente, passou estudar com o professor Gelson Roberto, na Sociedade Musical São Vicente de Paula, na qual mais tarde chegou a ocupar o cargo de maestro. Participou do encontro internacional “Trombonanza 2010” na cidade de Santa Fé, Argentina, onde assistiu aulas e masterclass sobre técnicas e práticas instrumentais - tanto no cenário popular, quanto no erudito e Jazz. No ano de 2011 foi aluno do curso de musicalização através do Método Kodály ministrado pelo Prof. Ian Guest, realizado no Museu da Música de Mariana mesmo ano em que foi aprovado pela Universidade Federal de Ouro Preto fazendo parte da primeira classe de metais da instituição. Licenciado em Música pela Universidade Federal de Ouro Preto Wesley Procópio participou de vários projetos, entre eles: Quarteto de Metais Inconfidentes, Big Band Ouro Preto – BBOP e Pedra Sabão Orquestra. Abrindo Shows e tocando ao lado de músicos como Raul de Souza, Jesé Sadoque e Mark Mulley. Wesley Procópio atuou também como primeiro trombone da Orquestra Sinfônica de Betim na temporada de 2016 e atualmente além de trabalhar como professor de musicalização vem realizando projetos voltados para a música popular brasileira, sobretudo no âmbito do Choro e Samba.

20 de abril / Quinta-feira
Leonardo Brasilino - Foto: divulgação
LEONARDO BRASILINO - Músico desde 1991, o belo-horizontino Brasilino começou a estudar música e trombone, aos 11 anos, na Banda de Música Antônio Tibúrcio Henriques, em Santa Luzia/MG. Ainda muito jovem, participou da Banda de Música Benício Moreira na mesma cidade e a partir daí começou a trabalhar profissionalmente na área popular. Formou-se em 2002 no CEFAR-PA (Centro de Formação Artística - Palácio das Artes) como Técnico Profissionalizante em Trombone e concluiu em 2007, o Bacharelado em Trombone na Escola de Música da UFMG. 
Foi vencedor em 2002 do prêmio revelação "Troféu Pró-música" e do Prêmio “Jovens Solistas”, realizado pela escola de música da UFMG em 2006. Recebeu também o prêmio BDMG instrumental em 2008 e 2011 na categoria de Melhor Músico Acompanhante. 
Hoje, Brasilino atua como professor de Trombone, e integra o Coral de Trombones da UFMG, além de tocar como músico convidado do grupo de trombones do CEFAR – Palácio das Artes e da OSMG (Orquestra Sinfônica de Minas Gerais) desde 2002, participando em inúmeros concertos e montagens de óperas. No campo da música popular, já atuou em diversos grupos tais como Big Band da Pró-music/BH e da Geraes Big Band da UFMG e de bandas como Dominus, Via Expressa, Free-lance, Fire entre outras. Atualmente toca no Enxadário - Orquestra de Enxadas, o Sexteto de jazz Klatu Barada Nicto e participa do Trio Triopatí.. 
Longe de estar preso a um estilo pré-definido, ele vai da gafieira, como integrante do Senta a Pua!, até o Carnaval, marcando presença em dois blocos, Me Beija que Eu Sou Pagodeiro e o jazzístico Magnólia.  Leonardo Brasilino acaba de lançar o CD Terra Brasilinis, seu primeiro álbum autoral.
   
21 de abril / Sexta-feira
Alaécio Martins - Foto: Siele Barbosa
ALAÉCIO MARTINS - Iniciou seus estudos musicais na Banda Mirim Prefeito Antônio de Carvalho Cruz, em Diamantina- MG. Graduou-se Bacharel em Trombone/Música pela Universidade Federal de Minas Gerais e é Mestre em Ensino das Práticas Musicais - Mestrado profissional da UniRio sob a orientação de Ermelinda Azevedo Paz Zanini. Atuando na área de música popular e também erudita, foi trombonista da Orquestra Sinfônica de Minas Gerais entre 2007 e 2016. Integrou diferentes grupos de música instrumental, como: Mistura Orquestra, grupo de choro Corta- Jaca, as bandas de gafieira Senta a Pua e H-Fieira. Atualmente, desenvolve pesquisa do Choro escrito para bandas de música em Minas Gerais e integra a Orquestra Já Te Digo, grupo dedicado a interpretar arranjos originais de Pixinguinha, bem como, de integrantes do grupo. Tem participado de vários festivais de aperfeiçoamento com professores de renome no âmbito popular e erudito e atuado em shows e gravações de artistas da cena mineira e brasileira. Alaécio é um querido entre seus companheiros e para os mais chegados, ele é o Lalá, Lalá do Trombone.

22 de abril / Sábado
Hélio Pereira - Foto: arquivo pessoal.
HÉLIO PEREIRA - Um dos sócios fundadores do Clube do Choro de BH é considerado um dos nossos mais respeitáveis multi-instrumentistas. Com repertório variado, principalmente de Choro, e participação garantida em eventos musicais de primeira linha, Hélio não esconde de ninguém que aprendeu a tocar violão ainda menino na Pedreira Prado Lopes, em BH, onde nasceu em 1932, e também foi criado. Aos 10 anos de idade, já tocava com a avó e irmãos, todos violonistas. Aos 25 anos, começou a tocar o 2º violão no regional de Waldir Silva, quando teve a oportunidade de se apresentar acompanhando nomes como Nelson Gonçalves, Sílvio Caldas, Orlando Silva, Jorge Veiga e Emilinha Borba. Participou de inúmeras gravações de LPs e CDs consagrados, especialmente com o grupo do próprio Waldir Silva e atuou nos Conjuntos Os Marajós, Autentic Jazz Band e Nova Diex Band. Por muito tempo, Hélio foi também o 2º trombone da Orquestra Sinfônica de Minas Gerais (OSMG), onde se aposentou. Dono de um sopro inconfundível é também autor de várias composições.

23 de abril / Domingo
Zé da Velha - Foto: Divulgação
ZÉ DA VELHA - José Alberto Rodrigues Matos nasceu em Aracaju, em 4 de abril de 1942. Não por acaso, no mês dedicado ao Chorinho, já que é um trombonista reconhecido como um dos maiores solista de choro do Brasil.
Começou a tocar trombone aos 15 anos de idade influenciado pelo pai. Em 1958, ficou conhecido pelo pseudônimo Zé da Velha por tocar trombone de vara ao lado de Pixiguinha, Donga e João da Baiana na época do conjunto da Velha-Guarda antes da extinção do grupo. Acompanhou Jacob do Bandolim em 1965 e ao  longo de sua carreira, já tocou com Paulo Moura, Beth Carvalho, Martinho da Vila, Luiz Melodia, Tim Maia e Elza Soares.

Zé da Velha é uma das atrações do Show de encerramento da Semana Nacional do Choro e sob ao palco ao lado de todos os demais trombonistas mineiros que abrilhantarão a Semana Nacional do Choro 2017.