19 de maio de 2016

CLUBE DO CHORO DE BH ENCERRA AS COMEMORAÇÕES DOS SEUS 10 ANOS DE FUNDAÇÃO, PROMOVENDO UM GRANDE ESPETÁCULO.

Com plateia lotada, o show "Clube do Choro de BH convida Hélio Pereira, Hamilton de Holanda e Ian Coury" foi a grande atração da noite do último sábado , no Palácio das Artes.

Clube do Choro de BH em festa. Foto: ACTIONBHZ
O encerramento dos eventos comemorativos dos 10 anos de fundação do Clube do Choro de Belo Horizonte aconteceu com um super espetáculo musical, na noite do último sábado, 14 de maio, no Grande Teatro do Palácio das Artes.
A abertura do evento foi realizada pelo Presidente do Clube do Choro de BH, Acir Antão e promovida através da execução do Hino Nacional Brasileiro, pelos músicos associados, com arranjo original de Silvio Carlos. A execução foi fortemente aplaudida, deixando claro que aquela seria mesmo uma noite bastante especial.
Com casa lotada, o show contou com a presença de centenas de pessoas que prestigiaram e aplaudiram esta noite de gala do Choro. Entre elas, o Excelentíssimo Sr. Secretário de Estado de Cultura de MG, Angelo Oswaldo, o renomado músico húngaro Ian Guest, precursor no Brasil do ensino da música popular, o vereador Arnaldo Godoy, manifesto apreciador do Chorinho e frequentemente presente aos eventos do Clube, entre outras figuras de destaque.

Com plateia lotada, o Clube do Choro de BH comemorou seus 10 anos de fundação - Foto: ACTION BHZ

DO BAR DO BOLÃO AO PALÁCIO DAS ARTES
O Clube do Choro de Belo Horizonte tem as suas origens nas reuniões semanais das quintas-feiras, no tradicional Bar do Bolão (atual Butiquim Vila Rica), no bairro Padre Eustáquio, onde vários músicos, amadores e profissionais, se reúnem, desde 1993 até hoje, em maravilhosas rodas de Choro, abertas a todos os apreciadores de boa música, bom papo e agradável convivência. Dessas reuniões, há dez anos, surgiu o Clube do Choro. Nesta década de existência, a instituição conquistou seu lugar no cenário cultural e musical da cidade. 
Uma década do melhor do Chorinho e de muita amizade estava sendo comemorada no último sábado e, para tanto, o palco foi compartilhado pelos músicos fundadores e os novos associados, numa reverência musical a este gênero que agrada a diferentes gerações.
O público pode assistir a um grupo formado pelos músicos associados Sílvio Carlos (violão 7 cordas e direção musical), Carlos Walter (violão), Luiz Guilherme (cavaquinho), Oszenclever Camargo (pandeiro) e Marcos Flávio Aguiar (trombone), além dos sócios que atuaram como solistas convidados, Mário de Castro, Geraldo Felipe Prates, Marcelo Ribeiro, José Carlos Choairy, Lucas Telles, Ausier Vinicius, Warley Henrique e a voz do presidente do Clube, Acir Antão, na homenagem prestada ao nosso saudoso sócio Mozart Secundino, falecido no ano passado.


(Para rever as fotos aperte a tecla F5)

Na primeira parte do espetáculo este grupo interpretou clássicos como: "Amigo Velho" (C. de Alencar/Hélio Nascimento), "Na Glória" (Raul de Barros), "Chorinho Antigo" (Waldir Azevedo), "Chorando baixinho" (Abel Ferreira), "Segura ele" (Pixinguinha), "Cinema mudo" e "Delicado" (Waldir Azevedo) , além da composição de "Naquela mesa" (Sérgio Bittencourt) que foi executada como um tributo a Mozart Secundino de Oliveira.

TRÊS GERAÇÕES NO BANDOLIM
A segunda parte do espetáculo teve como atração principal, três ilustres bandolinistas convidados: o sócio fundador do Clube do Choro de BH, Hélio Pereira; o jovem talento brasiliense, Ian Coury e Hamilton de Holanda, considerado hoje um dos maiores bandolinistas do mundo e criador da técnica pioneira do bandolim de 10 cordas.

Hamilton de Holanda, Hélio Pereira e Ian Coury. três gerações de bandolinsitas  no palco .

Contagiando a plateia, Hamilton de Holanda ofereceu um show à parte, com sua música focada na beleza e na espontaneidade, unindo tradição e modernidade. Hamilton carrega no DNA a fusão do incentivo familiar, do Bacharelado em Composição pela Universidade de Brasília e da pratica das rodas de choro. Essa identidade o permite transitar com tranquilidade pelas mais diferentes formações (solo, duo, quarteto, quinteto, orquestra), consolidando, assim, uma maneira de expor ideias musicais e impressões sobre a vida com “o coração na ponta dos dedos”.



E tudo isto ele compartilhou, dividindo solos com Ian Coury, este jovem virtuoso que escolheu o Choro como gênero favorito e mantem como principais influências os bandolinistas Jacob do Bandolim e o próprio Hamilton de Holanda. 
Ian prova que talento não tem idade. Aos 14 anos de idade é reconhecido pela Academia Brasileira de Ciências, Artes, História e Literatura com Certificado de Mérito Artístico Cultural e Destaque Musical. Em seu currículo traz participações no Curso Global Strings Intensive, realizado pela Berklee College of Music, Boston/USA, realizado em junho de 2015, além de participações em vários programas de TV e Rádio.

Hélio Pereira que um dos sócios fundadores do Clube, foi aplaudido de forma emocionada pela plateia e pelos colegas que dividiram com ele, este momento em que pode mais uma vez, demonstrar toda a técnica e conhecimento musical acumulado ao longo de sua trajetória. Ele que foi um dos homenageados da noite é considerado um dos nossos mais respeitáveis multi-instrumentistas. Com repertório variado, principalmente de Choro, e participação garantida em eventos musicais de primeira linha, Hélio não esconde de ninguém que aprendeu a tocar violão ainda menino na Pedreira Prado Lopes, em BH, onde nasceu em 1932, e também foi criado. Aos 10 anos de idade, já tocava com a avó e irmãos, todos violonistas. Aos 25 anos, começou a tocar o 2º violão no regional de Waldir Silva, quando teve a oportunidade de se apresentar acompanhando nomes como Nelson Gonçalves, Sílvio Caldas, Orlando Silva, Jorge Veiga e Emilinha Borba. Participou de inúmeras gravações de LPs e CDs consagrados, especialmente com o grupo do próprio Waldir Silva e atuou nos Conjuntos Os Marajós, Autentic Jazz Band e Nova Diex Band. Por muito tempo, Hélio  foi também o 2º trombone da Orquestra Sinfônica de Minas Gerais (OSMG), onde se aposentou. Dono de um sopro inconfundível é também autor de várias composições.

Interpretando composições como "Vibrações", de sua autoria, além de outras que fazem parte do seu novo álbum (com músicas de Chico Buarque), Hamilton de Holanda ainda tocou "Santa Morena" ao lado de Hélio Pereira e "Receita de Samba" com Ian Coury.  Os três bandolinistas brindaram o público com "Noites cariocas", em conjunto com o grupo do Clube do Choro de BH. Muito aplaudidos, os músicos acompanharam a plateia em um grande e emocionado número final. A música "Carinhoso" foi entoada em uníssono, fazendo o encerramento das comemorações dos 10 anos do Clube do Choro de BH em "tom maior".

(Para rever as fotos aperte a tecla F5)

Este evento contou com o patrocínio do SISTEMA FIEMG e apoio cultural do BDMG. Cobertura fotográfica de Nilson Cota e ACTIONBHZ.