SEJA VOCÊ TAMBÉM UM ASSOCIADO DO CLUBE DO CHORO DE BH. MAIORES INFORMAÇÕES LIGUE (31)3422-4433.

30 de abril de 2022

Clubes do Choro de BH e Betim se encontraram em noite de homenagens no Fátima Botequim. O show marcou o segundo dia de apresentações da Semana Nacional do Choro 2022.

O Clube do Choro de Betim foi a grande atração da noite. Foto: Actionbhz

O segundo dia de apresentações da Semana Nacional do Choro 2022 promoveu um encontro muito especial entre os Clubes do Choro de Belo Horizonte e de Betim. O show aconteceu no Fátima Botequim e foi inteiramente concebido para homenagear três grandes instrumentistas mineiros que, por longo período, foram associados ao Clube do Choro de BH: a acordeonista Elisa Behrens, o clarinetista Luiz de Souza e o trombonista Marcelo Batista, este também fundador e músico permanente do Clube do Choro de Betim. Ambos faleceram em 2021 deixando um grande legado ao Choro de Minas Gerais, o que os tornou merecedores de tributos como o ocorrido na noite da última quinta-feira (28/04).

Além dos instrumentistas do Clube do Choro de Betim, a apresentação contou com as participações especiais do trompetista Silvério Pontes e da flautista Raissa Anastásia. Foto: Actionbhz

A apresentação do Clube do Choro de Betim contou com a participação dos músicos Marcos Flávio (trombone) Dudu Braga (cavaquinho), Juninho Braga (voz), Ramon Braga (pandeiro), Henrique Martins (violão 7 Cordas), Cleidiano Machado (cavaquinho) e Pedro Mota (trompete). Além desse super elenco, a plateia teve o prazer de ouvir o trompetista carioca Silvério Pontes, especialmente convidado pelo Clube do Choro de BH para esta apresentação.

Paulo Ramos, Diretor Cultural do Clube do Choro e Produtor do Evento 
Foto: Actionbhz
Além do Presidente, Diretores e vários associados do Clube do Choro de BH, também compareceram ao evento parentes e amigos próximos dos músicos homenageados, assim como um público seleto e apreciador do chorinho que ocupou toda a área externa do Fátima Botequim, sentados confortavelmente ao ar livre, sob as árvores.
O repertório escolhido contou com vários Choros de predileção dos homenageados e fez lembrar momentos muito especiais, compartilhados com Elisa, Luiz e Marcelo.

HOMENAGEADOS

Eliza Beherns - Foto: arquivo pessoal

A acordeonista Maria Elisa Andrade Behrens era mineira de Januária. Passou a infância em Diamantina e ali começou sua história musical. Adolescente mudou-se com a família para BH onde passou a residir e estudar piano. Mas foi o acordeom que lhe tocou o coração e passou a ser seu instrumento principal. 
Ela admirava e se inspirava em compositores e instrumentistas como Sivuca, Orlando Silveira, Hermeto Paschoal e Dominguinhos. 
Nos palcos dos teatros, em bares tradicionais de encontros de compositores e apreciadores da boa música, espaços culturais, festas, bailes e projetos como o “Minas ao Luar”, ela tocava Chorinho, Seresta e MPB. 
Elisa fez história atuando como integrante ou convidada especial de diversos grupos como “Regional Feitiço da Vila”, “Sarau Brasileiro”, “Sereno da Madrugada”, “Aconchego”, “Regional Arco da Velha”, “Sindicato do Forró”, “Vinicius Tiso e seus violinos” e em inúmeras apresentações do Clube do Choro de Belo Horizonte, do qual também foi membro efetivo. Elisa faleceu em BH, onde foi sepultada no dia 6 de março de 2021.

Luiz de Souza - Foto: Actionbhz
Luiz de Souza, faleceu aos 79 anos de idade em 29 de março de 2021, vitimado pela COVID-19. Era compositor e clarinetista respeitado nas rodas de Choro de BH e muito querido entre seus companheiros de música. Ele teve composições autorais registradas em álbuns como o "Engolindo o Choro" do grupo Off-Sina e participações em várias gravações fonográficas de outros músicos.
Ele pertenceu por vários anos ao quadro de associados do Clube do Choro de BH e sua passagem pela instituição foi marcada pela competência como instrumentista, mas também pela simpatia e camaradagem. No Clube e nas rodas de Choro da cidade, ele deixou grandes amizades e saudade.

O trombonista Marcelo Ribeiro Batista faleceu em 24 de janeiro de 2021, aos 74 anos, acometido por uma parada cardiorrespiratória decorrente de um quadro agravado da da COVID-19. Além de associado ao Clube do Choro de BH foi um dos fundadores do Clube do Choro de Betim. Marcelão do Trombone, como era conhecido, formou-se em Engenharia pela UFMG e exerceu esta profissão ao logo da vida, sem nunca se afastar da esfera musical.
Marcelo Batista, o Marcelão . Foto: Actionbhz
A música estava em seu DNA. Ele era filho de João Careca, fundador da banda de mesmo nome na década de 1960, em Betim (MG). Marcelão "seguiu o baile" e participou de vários eventos e Carnavais em sua cidade, além de ter feito parte da Banda Nossa Senhora do Carmo da qual foi presidente. Sua presença também era marcante nas rodas de Choro e sempre pautada pela extrema alegria. Ele mudava o clima sempre para melhor, "balançava o coreto" e botava a boca no trombone, literalmente.



A SEMANA NACIONAL DO CHORO CONTINUA -  A próxima apresentação será no Tua Pizza Mangabeiras no domingo (01/05). Continue acompanhando por aqui todas os detalhes sobre a programação da SEMANA NACIONAL DO CHORO 2022, uma parceria entre o Clube do Choro de BH e Sesc MG.

CONFIRA O ÁLBUM DE FOTOS DA SEMANA NACIONAL DO CHORO 2022. Crédito das Fotos: Actionbhz