13 de maio de 2019

Prêmio BDMG Instrumental elege os melhores compositores e instrumentistas mineiros.


Em seu 19º ano, o Prêmio BDMG Instrumental chegará a final da premiação no próximo final de semana, dias 17, 18 e 19 de maio. Doze semifinalistas apresentarão para o público e para uma comissão julgadora formada por músicos consagrados, jornalistas e representantes do Sesc SP, parceiro do BDMG Cultural, composições e arranjos inéditos. Os shows vão acontecer no Teatro Sesiminas (Rua Álvares Maciel, 59 – Santa Efigênia) na sexta-feira, às 20h, sábado e domingo, às 18h. 

No domingo, quando serão conhecidos os vencedores do 19º Prêmio BDMG Instrumental, Luísa Mitre, pianista e compositora mineira, realizará um pocket show com o repertório do CD Oferenda, consagrado pelo Prêmio Marco Antônio Araújo, que destaca o melhor CD autoral, instrumental e independente, produzido entre janeiro e dezembro de 2018. Também neste dia, a cantautora Julia Branco receberá o Prêmio Flávio Henrique, de melhor CD de canção, autoral e independente, produzido entre janeiro e dezembro de 2018, pelo álbum Soltar os cavalos.

Entre os semi finalistas desta edição do BDMG Cultural estão dois associados do Clube do Choro de Belo Horizonte: os violonistas Carlos Walter e Lucas Telles.

Carlos Walter. Foto: Alexandre Rezende
Carlos Walter foi eleito um dos melhores instrumentistas do Prêmio Melhores da Música Brasileira em 2015, além de selecionado para se apresentar no 6º Festival de Choro de Paris, em 2010, Carlos Walter é um violonista mineiro de mão cheia. Autodidata, assina o livro “O violão e as linguagens violonísticas do choro” e o CD e songbook “Calendário do Afeto: suíte para violão-solo com 9 movimentos alusivos aos meses de gestação”, uma homenagem ao seu primogênito. Instrumentista requisitado, tocou ao lado de Ian Guest, Juarez Moreira, Yamandu Costa, Gabriel Grossi, Nicolas Krassik, Hamilton de Holanda, entre outros.


Lucas Telles. Foto: Élcio Paraíso
O bacharel e mestre em música pela UFMG,  Lucas Telles é veterano no Prêmio BDMG Instrumental, consagrado em 2013. Especialista quando o assunto é Radamés Gnattali, Lucas atua como professor da UFOP, onde também coordena a Orquestra de Violões. Foi premiado no projeto "Novas 3" de composição para violão solo e classificou-se em 3º lugar no concurso de composição do 1º Festival do Choro Novo. O belo-horizontino se apresentou no Reencontres internationales de la guitare de Antony, na França, e possui dois CDs gravados com o grupo Toca de Tatu, do qual é integrante e um dos fundadores. Suas composições já foram interpretadas por Giselle Couto e Deh Mussulini. Tocou ao lado de Cristóvão Bastos, Toninho Carrasqueira, Nailor Proveta, Zé Nogueira, Célio Balona, entre outros.

PROGRAMAÇÃO COM ENTRADA FRANCA
Na sexta-feira, 17, subirão ao palco os músicos Marcus Abjaud, Gustavo Figueiredo, Marcela Nunes, Lucas Telles, Pedro Gomes e Assanhado Quarteto

No sábado, 18, defenderão as suas composições PC Guimarães, Carlos Walter, Rafael Martini, Rafael Pimenta, Marcelo Fonseca e Caetano Brasil & Grupo.

Nestes dois dias, a comissão julgadora indicará os seis finalistas que se apresentarão no domingo, 19, dia da finalíssima, quando serão conhecidos os quatro vencedores, que receberão R$12 mil e shows em Belo Horizonte, no CCBB-BH, e em São Paulo, no “Instrumental Sesc Brasil”, do Sesc SP, com a participação de um convidado de renome. Também serão premiados os dois finalistas, o melhor arranjo desta edição e os dois melhores instrumentistas das três noites. A premiação é realizada pelo BDMG Cultural, com patrocínio do Ministério da Cidadania e BDMG, via Lei de Incentivo Federal à Cultura.