24 de fevereiro de 2017

O RÁDIO É VOCÊ

                                

O rádio é a invenção mais próxima, mais útil e mais presente no dia a dia das pessoas. Pai da televisão e muitos anos antes de ver nascer a impressionante internet com seus braços de polvo - youTubes, facebooks e wathApps digitais -, o rádio já fazia suas estripulias, difundindo a música, oferecendo entretenimento e informações, prestando serviços com rapidez, eficiência e agilidade, além de criar ídolos, graças a uma versatilidade espantosa. Deve-se ao rádio o incremento da música nativa brasileira, do carnaval, do futebol, dos hábitos e manifestações populares e das eleições no país.

Foi com esse ideal que Edgard Roquette-Pinto (1884/1954), médico, educador e empreende-dor , colocou no ar a primeira emissora do Brasil, a Sociedade Rádio do Rio de Janeiro, em 1922, depois Rádio Ministério da Educação e Cultura, hoje Rádio MEC, que mantém uma programação eminentemente cultural e educativa.

Com a tecnologia avançando a todo instante, em todos os sentidos, o rádio nunca se acomodou: foi se aperfeiçoando, como veículo popular de comunicação de massa, reinventando-se à procura de novos caminhos para resistir a todas as crenças e afirmações de supostos entendidos, que anunciaram a sua morte, no início dos anos 50, com o surgimento da televisão no Brasil. Erraram feio.

A televisão herdou e levou de graça tudo de bom e de melhor que o rádio tinha: apresentadores, cantores, humoristas, redatores, poetas, escritores, músicos, narradores, jornalistas, programas de auditório, novelas, programas educativos, shows musicais, transmissões esportivas e os grandes ídolos. Quando a televisão passou a fazer transmissões em cores, aí é que a coisa pareceu ter ficado preta para o rádio. Mas, por obra de Deus e da tecnologia, ao mesmo tempo, surgiu também uma ação salvadora: a transmissão em FM – frequência modulada – um salto espetacular com a nova faixa no dial e o hábito do radinho à pilha, leve, portátil e com som limpinho, uma verdadeira febre que se espalhou por toda parte em todos os lugares e livre de interferências.

Mais recentemente, o advento de computador, celular, iPad, tablet , iPhone, smartphone também veio acrescentar mais audiência e popularidade ao rádio, que circula selerepe e sem fios elétricos, pelas mãos, ouvidos, pescoços e em bolsas a tiracolo de jovens estudantes, adolescentes e adultos, cada um em sua faixa de segmento. E o rádio é companheiro também em passeios ao ar livre, em pescarias, nas praias, nas caminhadas, nos carros, em bicicletas e nas arquibancadas, acompanhando as emoções vividas nos campos de futebol.

A tecnologia continuou fazendo a sua parte, avançando sempre e o mundo ganhou a transmissão via satélite, que o rádio adotou imediatamente, permitindo imensas possibilidades de trabalho e oferecendo aos ouvintes algo quase inacreditável: a transmissão e recepção perfeitas e imediatas de qualquer parte do mundo, com as pessoas se interagindo, como se estivessem proseando na sala ou na varanda da casa. 

Essas considerações são feitas na segunda-feira 13 de fevereiro de 2017, data em que a ONU – Organização das Nações Unidas - resolveu celebrar , mundialmente , o veículo rádio, esse pioneiro meio de comunicação de massa, nosso amigo e companheiro de todas as horas.

A frase adotada pela ONU para marcar a data no mundo está reproduzida no título deste texto e é muito apropriada: O RÁDIO É VOCÊ!

Por:  Hamilton  Gangana - Publicitário e Conselheiro do Clube do Choro de BH