3 de fevereiro de 2016

Você sabia que tocar um instrumento envolve praticamente todas as áreas do cérebro de uma só vez?

Quando você escuta música, múltiplas áreas do seu cérebro são usadas e ativadas. Porém, quando você toca um instrumento, há um trabalho de todo o corpo e a mente. 
A diferença mais óbvia entre ouvir e tocar música é que tocar envolve habilidades de movimento muito delicadas e essas habilidades são controladas pelos dois lados do cérebro. Essa atividade também combina a área da linguagem e cálculos matemáticos controlados pelo lado esquerdo com os conteúdos novos e criativos do lado direito. Por isso descobriu-se que tocar música aumenta o tamanho e o corpo caloso no cérebro, a ponte que liga os dois hemisférios e pode ajudar os músicos a solucionar problemas tanto na área acadêmica quanto social. 
Os músicos também tem níveis mais altos de “função executiva”, uma categoria de tarefas interligadas que envolvem planejamento, estratégia e atenção a detalhes e que requerem uma análise simultânea dos aspectos cognitivos e emocionais.

Como tudo isto acontece? Anita Collins explica o espetáculo de fogos de artifício que ocorre no interior do cérebro dos músicos quando eles tocam e examina os efeitos positivos de longo prazo que resultam desse trabalho mental. Assista ao vídeo e entenda melhor.


Aula de Anita Collins, animação de Sharon Colman Graham
Assista à aula completa: http://ed.ted.com/lessons/how-playing...
Original video by TED-Ed: https://www.youtube.com/watch?v=R0JKC...