21 de dezembro de 2015

Altamiro Carrilho. Três anos de saudade.

Altamiro Carrilho que faria 91 anos neste 21 de dezembro foi um dos recordistas de vendas de discos na década de 50 e ajudou a redescobrir o chorinho como identidade brasileira.

Altamiro Carrilho. Fonte:internet
A música Rio Antigo foi um dos maiores sucessos dos anos 50, registrando a marca recorde, até então, de 700 mil cópias vendidas. Música criada por um mestre. Por um mestre que completaria 91 anos neste 21 de dezembro. Altamiro Carrilho, infelizmente, nos deixou em 2012.

Na verdade. Altamiro, ainda menino, tocava lira. A paixão pela flauta surgiu na adolescência. Foi na Rádio Nacional, no programa de calouros de Ary Barroso que Altamiro conseguiu reconhecimento. Ganhou fama de improvisador e começou a participar de grupos, discos e shows. Acabou por substituir Benedito Lacerda no conjunto regional de Garoto e passou a acompanhar nomes como Vicente Celestino, Orlando Silva e Francisco Alves.
A Era do Rádio passou, mas não a música de Altamiro, que é responsável pela sobrevivência e a redescoberta do chorinho.

A Rádio Nacional FM de Brasília (EBC) em seu programa  Momento Três, prestou uma homenagem ao mestre Altamiro Carrilho. No especial "91 anos de Altamiro Carrilho", você confere: Doce de Coco, de Jacob do Bandolin; Naquele Tempo, de Benedito Lacerda e Pixinguinha; e, é claro, Flor Amorosa, de Joaquim da Silva Calado e Catulo da Paixão Cearense.

Click na imagem ao lado e ouça o programa na íntegra.

O Momento Três vai ao ar de segunda a sexta-feira, às 10h e às 22h, na Rádio Nacional FM Brasília, com produção e edição de Heloisa Fernandes e a apresentação de Fátima Melo.

fonte: http://radios.ebc.com.br/momento-tres/edicao/2015-12/o-aniversario-de-altamiro-carrilho