1 de setembro de 2013

O Clube do Choro de BH está de luto: morreu nesta manhã, seu sócio fundador Waldir Silva.

O Clube do Choro de Belo Horizonte lamenta informar o falecimento do seu sócio fundador, o cavaquinista Waldir Silva. Ele faleceu às 12h35 deste domingo, aos 82 anos, acometido por insuficiência cardiorespiratória. Waldir Silva sofria de miastenia grave. Trata-se de uma doença neuromuscular autoimune que causa fraqueza muscular e fadiga extrema. O velório acontece na Casa da Paz (rua Dalva, 11 - bairro Bonfim) e o sepultamento ocorrerá nesta segunda-feira às 13hs, no Cemitério do Bonfim, em Belo Horizonte. Waldir deixa mulher, três filhos e dois netos.
O Clube do Choro de BH convoca todos os músicos associados e amigos a comparecerem às 11 horas, portando seus instrumentos para uma homenagem coletiva ao inesquecível "Cavaquinho de Ouro".

Mineiro de Bom Despacho, Waldir Silva ganhou seu primeiro instrumento de seu pai, aos 6 anos de idade. Sua carreira foi coroada de sucessos e é hoje um dos mais consagrados artistas do país. Por sua virtuose no cavaquinho, ganhou o pseudônimo de “O Cavaquinho de Ouro”. Passou pelas mais famosas gravadoras do país e tocou ao lado dos maiores artistas do nosso cenário. Gravou composições próprias e registrou em discos trabalhos dos maiores compositores brasileiros. Com seu cavaquinho de ouro, Waldir Silva gravou vinte e nove long plays, nove Cds e mais de uma centena de sucessos. Foi um fenômeno na vendagem de discos, tendo atingido a marca de seis milhões de cópias no Brasil e, ainda, em muitos outros países.
Sua primeira composição gravada foi Telegrama Musical. Sua composição remetia à sua profissão de telegrafista. Apesar de música eminentemente instrumental, essa composição através das notas musicais soladas, emitia uma mensagem expressa em código morse, que encantou a todos. O sucesso na época foi tanto, que Waldir Silva foi parabenizado por Juscelino Kubitschek de Oliveira, então Presidente da República do Brasil, que entendeu perfeitamente a mensagem e agradeceu respondendo também em código morse. Waldir compos parte da trilha musical da novela Pecado Capital, da Rede Globo de Televisão, foi indicado para o Prêmio Sharp de Música Popular Brasileira no ano de 1996. Neste mesmo ano Waldir e seu espetacular conjunto foram agraciados pela crítica, com o troféu Pró-Música - melhor conjunto e ainda hoje marcavam presença nos principais bailes, serestas, shows , exposições, festas, formaturas e congressos no Brasil e no exterior. O repertório era variado e agradava pessoas de qualquer idade, incluindo: músicas das grandes orquestras, boleros, chorinho, seresta, valsa, samba, fox, xote, forró , sertaneja, tango, mambo, rumba, chá-chá-chá e um variado número de músicas dos inesquecíveis anos dourados relembrando o rock and roll, os Beatles e Rolling Stones. O conjunto participava dos Projetos Minas ao Luar e Minas em Serenata, patrocinados pelo SESC – Serviço Social do Comércio, com apresentações em mais de cem cidades do Estado de Minas Gerais, realizadas quinzenalmente, onde eram apresentadas músicas de todas as épocas. Todas as cidades visitadas ganharam de presente uma canção seresteira composta por Waldir Silva e Mauro Silva, retratando os aspectos culturais, históricos e artísticos da cidade. Os prefeitos recebiam durante o espetáculo, uma cópia emoldurada da letra para exposição na Prefeitura e uma gravação com a música. Várias dessas canções tornaram-se verdadeiros hinos dessas cidades.


Leia mais: o último Cd gravado por Waldir Silva -http://www.clubedochorodebh.com.br/p/choro-gravado.html